30/10/2010

Dubrovnik - praias


Dubrovnik tem poucas praias, mas as que tem são no mínimo "interessantes". Quando o pessoal quer ficar em praias maiores ou ter um pouco mais de sossego, o normal é pegar um barco até uma ilha próxima e passar o dia por lá.

A praia mais "normal" é a praia de Banje, que fica alguns metros para baixo do portão sul da cidade. Tem até areia no chão, coisa rara na Croácia - mas pelo que vi parece mais que jogaram alguns caminhões carregados dela para obter aquele resultado.
O lugar é meio lotado, porque pode ser atingido a pé a partir do centro histórico da cidade, onde muita gente se hospeda em apartamentos históricos e hotéis butique - além dos poucos albergues que existem por lá.

Quando se chega, a impressão é de que se está entrando numa praia particular, em que se tem de usar os guarda-sóis de um clube grande que fica por ali, o EastWest. Mas não, basta estender a toalha num cantinho de areia ou levar o seu próprio guarda-sol e cerveja que está tudo tranquilo.


Foi depois de ter ida a essa praia, logo na primeira tarde em Dubrovnik, que decidimos comprar um guarda-sol (ao invés de sempre alugarmos) e uma bolsa térmica para ter a nossa própria cerva gelada. Investimos uns 18 euros nisso e se revelou o dinheiro mais bem gasto da viagem, como contarei em outros posts.

O clube EastWest também serve para um after beach e até mesmo funciona como night club, por isso é algo que possivelmente quem for para lá visitará em algum momento.

A península de Lapad, onde fica a parte nova da cidade e a maioria dos albergues, também tem uma praia, um pouco maior, mas nessa não chegamos a ir, porque é necessário pegar transporte coletivo e não valia a pena porque disseram não ter nada de especial.

A ilhota de Lokrum, que é aquela bolota que se enxerga de qualquer ponto das muralhas de Dubrovnik, tem mais uma praia, mas pelo que soubemos é "FKK", ou seja, praia nudista. Para chegar lá, basta pegar um barquinho de 5min a partir do porto velho da cidade.

As praias mais interessantes de Dubrovnik, diferentes de tudo que eu já tinha visto na vida, no entanto, ficam nas muralhas da cidade velha. Há duas delas, ambas acessíveis por portõezinhos escavados nas muralhas mais ao oeste da cidade de menos de 1,70m de altura (a pessoa tem que se abaixar para não bater a cabeça). À noite os portõezinhos são fechados e só abrem por volta das 9h ou 10h da manhã.
O que eles chamam de praia, na verdade, são várias rochas no pé da muralha que foram sendo aplainadas com a construção de terracinhos (nos quais não cabem mais do que dois guarda-sóis com as cadeiras), interligados por escadarias.

Não há areia nem pedrinhas: para chegar a água usam-se escadas ou simplesmente se pula das pedras mais altas. Para voltar, como há limo nas pedras, há algumas cordas para se segurar.

As pessoas curtem o lugar numa boa: esticam toalhas na pedra (parece mais estão tomando banho de sol "na laje") e ficam bebendo dos barzinhos que atendem em cada uma dessas "praias".

Em todos os lugares, uma mesma característica: água transparente, ondas bem fraquinhas, mas quase nada de vida marinha. A temperatura é fria, para padrões brasileiros (os gaúchos talvez achem até mais quentes que as suas praias), mas dá bem para encarar com aquele calor quase insuportável que faz de manhã e no início da tarde em Dubrovnik).

Um comentário:

Consultora Educacional disse...

Gosto muito dos artigos de ótima qualidade do seu Blog. Quando for possível dá uma passadinha para ver nosso Curso de Informática Online. Daienne.