12/04/2009

Páscoa e respostas

Feliz Páscoa a todos que me acompanham! Como viajei no feriadão, acabei demorando um pouco na resposta aos comentários do último post, mas aproveito esse espaço para tirar esse atraso.

Com relação à dúvida do anônimo que postou um comentário dia 09/04/09, às 10:38, acho que uma mochila de 60L está de bom tamanho, se a pessoa for econômica no quesito bagagem. Eu tenho a minha de 72L desde a época em que viajei para Machu Picchu e, mesmo com 6 anos de uso e vários milhares de km sendo utilizada por mim e para outros que já me pediram emprestada, segue inteirinha. Ainda tenho vontade de comprar outra mais moderna na Europa, mas ainda não tenho data certa para isso. Mais do que 72L, na minha opinião, é exagero.

Com relação à pergunta da Letícia sobre o Valle Nevado, infelizmente não posso ajudar. Nunca fiz viagem em época de inverno para esquiar. Acredito que seja bastante caro e realmente vai ser difícil encontrar dicas em sites de mochileiros sobre esse lugar porque são poucos os mochileiros que se dispõem a gastar o que custa uma hospedagem e um dia de atividades num lugar como esse.

O passeio de bicicleta de La Cumbre a Coroico estava, na época, por 35 dólares, tudo incluído (transfer do hotel, bicicletas, lanche, almoço e retorno). Hoje não deve estar muito mais do que 50 dólares, porque a concorrência é grande.

Machu Picchu tem site oficial sobre ingressos para o Parque e para a Trilha: http://www.inc-cusco.gob.pe

Esse passeio de lancha de que o Rodrigo falou sai de Copacabana; há várias opções, pelo que me lembro, e dá direito tão somente ao passeio em si. O barco para por um tempo determinado na ilha para que os turistas subam e desçam pelos terraços e depois retorna. Há alguns lanches a bordo para venda, mas é pouca coisa. O preço está em torno do que ele disse....

Por fim, em relação às dúvidas do Flávio, acredito que aquela dos parques está resolvida acima, pelo menos no que diz respeito a Machu Picchu. Os demais parques, como em qualquer lugar, sempre tem uma taxa de entrada, que não costuma ser muito alta. O transporte até lá e a hospedagem mais próxima é que acabam custando mais, assim como ocorre aqui no Brasil.

Quanto aos albergues, recomendo sempre a pesquisa no hostelworld.com, que tem opção de língua em português e dá para ver tarifas em várias moedas, também selecionáveis pelo internauta.

Bom, por hoje era isso. Sigo na promessa de postar mais seguido. Até!

Nenhum comentário: