30/01/2011

De Split a Plitvice

No mapa, não são mais do que 250km que separam a cidade de Split, no litoral, do Parque Nacional dos Lagos de Plitvice, na região central da Croácia. No entanto, essa distância que parece pequena para padrões brasileiros significa uma viagem de mais ou menos 5 horas em ônibus com bancos mais estreitos do que estamos acostumados, por estradinhas que poderiam muito bem estar no interior de um Município pequeno, mas que ali fazem a ligação entre regiões importantes de um país.

Nosso ônibus estava marcada para as 9h30 da manhã, não custou mais do que uns 30 reais por pessoa e saiu na hora marcada. Como não há poltronas marcadas, bolamos a estratégia de deixar dois do grupo colocando as bagagens no maleiro (sempre há que pagar uma taxa de 2 reais por mala "despachada" aos agentes que as colocam lá dentro, com uma etiqueta de identificação), enquanto que os outros dois subiam e escolhiam lugares bons para sentar.

Naquele dia, porém, o ônibus estava com menos da metade da ocupação prevista, por isso conseguimos seguir a viagem inteira com dois bancos para cada um.
A paisagem não empolga muito na saída, a não ser por algumas ruínas de castelos que aparecem lá e cá, quando o ônibus se aproxima de algumas cidades, como na foto acima. A rota que fizemos, supostamente a mais curta que há, passa pelas cidades de Sinj, Knin e Korenica, costeando a fronteira com a Bósnia, pela estrada E71.

É impressionante como não existe quase sinal algum de atividade econômica no interior da Croácia. Nada de plantações, nada de criações de gado ou fábricas naquela região. Até apostamos uma cerveja para o primeiro que enxergasse uma vaca naquele país, coisa que não víamos desde que tínhamos saído do Brasil.

O único alento da viagem foram alguns lagos e montanhas que se apresentaram com a cor azul limpíssima com a qual acabamos nos acostumando naquela viagem, como nessas fotinhos tiradas de dentro do ônibus em movimento.

Faltando menos de meia hora para chegarmos ao Parque, o ônibus fez uma parada para almoço de meia hora. Afinal, seguiria para Zagreb e aquele povo tinha que comer.

O restaurante de beira de estrada onde ele parou revelou-se uma das maiores excentricidades da viagem, porque era cheio de animais da fauna regional empalhados. Ursos, cervos, coelhos, ratões e outros mamíferos estavam expostos bem perto dos bufês, alguns em posições de humanos, como uma mesa de poker cheia deles, segurando as cartas. Outros tomavam cerveja ao redor de uma mesa de bar, enquanto alguns estavam apenas em poses para assustar criancinha. Mau gosto ou não, ficaram registrados.

3 comentários:

Anônimo disse...

Boa tarde, André. Vou para Split em setembro e quero muito ir até Plitvice, mas não consigo encontrar muitas informações...o seu blog está me ajudando bastante!
Você poderia me ajudar? Gostaria de saber sobre esse ônibus que você foi, consigo comprar passagem pra esse ônibus pela internet? E há outros horários (mais cedo)? Ou alguma operadora de turismo que faça o passeio (com preço acessível...)? Na verdade, minha ideia seria fazer um day trip...será que rola?
Obrigada!

André Augusto Cella disse...

Olá. Compra-se a passagem direto na estação rodoviária de Split ou de Zagreb um dia antes. Muitos fazem como daytrip, mas seria bem cansativo...

Anônimo disse...

Obrigada, André! Irei na rodoviária assim que chegar lá, então!