18/07/2010

Santiago: Casa de Neruda


Uma das principais atrações do bairro de Bellavista é a casa em que Pablo Neruda passou a maior parte de seus dias. O lugar fica numa rua bem estranha, mais parecida com um beco, numa subidinha ao pé do morro. Não tem como errar o caminho: basta ir até a praça de onde se pega o funicular para subir o Cerro San Cristobal e seguir a rua à direita, margeando a encosta, até encontrar uns murais coloridos muito bonitos, que foram pintados bem em frente à dita casa.

Essa casa de Neruda é conhecida como “La Chascona”, ou “a descabelada”, e é apenas uma das três em que o poeta viveu ao longo de sua fase como o maior expoente da literatura chilena. Outra das casas do artista fica em Valparaíso e a terceira em Isla Negra, um pouco ao sul de Valparaíso.

A casa foi construída para que ele vivesse com sua companheira e hoje abriga um grande acervo de itens que Neruda ganhou ou comprou ao redor do mundo, enquanto era diplomata. A fixação do artista por coisas que lembrem o mar aparece em quase todos os cantos da casa, que não deixa de parecer um grande navio. Há janelas em forma de escotilhas, escadarias por todos os lados e muitos itens de decoração com motivos marinhos.

Em alguns pontos da casa, o humor do dono se revela. Há passagens secretas, fantasias e alguns móveis só para fazer graça, principalmente nas partes onde recebia seus convidados.

Mais no fim do passeio, há fotos mostrando como a casa foi invadida, parcialmente saqueada e ocupada logo depois do golpe militar de 1973, orquestrado pelo Pinochet. Neruda morreria logo depois desse golpe, após anos sofrendo com problemas vindos com a velhice.

Mesmo quem não conhece a obra de Neruda acaba achando o passeio interessante, principalmente se participar de um dos tours guiados que são feitos pelo local, a cada 15 minutos, com duração aproximada de meia hora. Não lembro exatamente qual o preço da visita, mas fica em alguma coisa entre 10 e 20 reais por pessoa.

Nenhum comentário: