21/09/2008

Paris - Musée d'Orsay





O belo dia que se iniciou quando fomos para La Defense não durou muito, voltando a ser mais um daqueles dias nublados que persistiam em se apresentar na nossa estada em Paris. Quando chegamos no Musée d'Orsay, pegamos uma fila do lado de fora já sem sol.A fila era maior do que eu imaginava. Na verdade, não tinha muita noção da importância desse museu, mas acabei me surpreendendo e considerando-o como uma experiência melhor até do que tinha sido o Louvre.
O d'Orsay foi construído numa antiga estação ferroviária e inaugurado a não mais do que uns 20 e poucos anos. O lugar concentra a exposição de quadros do período posterior a 1800, reunindo muita coisa de Van Gogh, Matisse, Monet, Klimt e outros tantos.
A forma como as obras são expostas e o tamanho das salas permite uma visão mais próxima dos quadros. Dá quase vontade de tocá-los, já que não há proteção aparente.

Outro fato interessante é que são permitidas fotografias sem flash no museu inteiro, coisa rara na Europa.
Ao longo do museu inteiro, vimos muitas turmas de colégio tendo aulas de arte, inclusive crianças com menos de 8 anos. Muitos estudantes universitário também usam o lugar para fazer desenhos e estudos dos quadros, o que torna olugar não exclusivo de turistas, mas também freqüentado pelos locais.

Tenho sugerido a quem me pergunta que não deixe de ir a esse museu, nem que para isso tenha que sacrificar outra atração. Melhor fazer um d'Orsay bem feito , já que isso é possível numas 3 horas, do que um Louvre na correria, no mesmo tempo.

DICA: não esqueça de aproveitar o terraço do andar superior, de onde dá para ter umas vistas bem legais da cidade (ainda mais se der uma nesga de sol, como foi o nosso caso).

2 comentários:

Natália Brasil disse...

Oi!

Tenho mais uma pergunta pra você! : )

Como vc lembra de tudo com tantos detalhes? Vc levou um caderninho de anotações? Pq eu estou pensando em fazer isso.

Um abraço, Natália

André Cella disse...

Oi! Na verdade, tenho mtas fotos e logo que chego as organizo anotando, com base em guias e mapas que trouxe de lá, onde fica cada coisa.
Na hora de escrever os posts, ajudo a memória consultando esses materiais que trouxe de viagem e, eventualmente, até fazendo uma pesquisa na internet para dar dicas atualizadas.
Mas confesso que sou observador e fico fazendo as minhas filosofias das coisas que vejo e sinto...
Abraço, espero que esteja gostando!