28/11/2008

"Há algo de podre no Reino da Dinamarca"

Essa frase, escrita por Shakespeare há uns 400 anos, referia-se à conspiração para matar o pai de Hamlet, mas bem que serve para lembrar que o país não é tão "perfeitinho" quanto se pode imaginar depois de um filme do tipo "Uma Princesa em Minha Vida" ou discursos sobre ser um país exemplo em bem-estar social.

Alguns exemplos...

A Dinamarca é um país onde se fuma MUITO. Todos os lugares possíveis tem gente fumando. Nos bares e pubs, a catinga daquele nevoeiro de nicotina queimando chega a arder os olhos. Quanto à roupa, nem se fale - lavanderia na certa. O país está bem atrás de outros na Europa nesse sentido, já que considero uma evolução a proibição progressiva do fumo em ambientes fechados.

Ao contrário de muitos dos seus vizinhos, pode-se beber livremente nas ruas da Dinamarca. Só que o pessoal abusa. Nos guias de viagem, à referência a essa coisa de pessoal de outros lugares virem passar final de semana para encher a cara em Copenhague. O resultado são bandos de jovens bêbados vomitando à noite na rua - coisa que chegamos a ver mais de uma vez.

Existe um lugar em Copenhague, que inclusive é ponto turístico (muito interessante, aliás), no qual o uso de drogas leves é "tolerado" pela polícia. Trata-se de Christiana, um antigo forte invadido por hippies na década de 60 que se tornou quase um "país" independente. Lá dentro, há malocas de traficantes, fogueiras no melhor estilo "filme sobre o fim do mundo", punks andando com cachorrões e gente muito, mas muito detonada em razão do seu vício.
Não me entendam mal - gostei muito do lugar e achei muito interessante essa "separação" entre um bairro todo certinho, com igreja e tudo, de um lado, e uma zona total do outro. Vale a pena conhecer esse ambiente digno da Christiane F!

Outra questão que saltaria aos olhos de um moralista, mas que é muito interessante de observar, é a forma como o sexo é encarado - aparentemente sem tabus. Há um museu do sexo e vários sex shops na cidade. Os pais páram na frente da vitrine com os filhos e ficam olhando na boa. Isso faz pensar na grande diferença que existe entre um país de tradição católica, como o nosso, e outros de religião mais liberal, como os escandinavos. Ponto pra eles...
Como a maioria das cidades européias, Copenhague também tem muitos imigrantes legais e ilegais. Não é difícil encontrar um kebab em cada esquina, uma festa de "carnaval" latino cheia de caribenhos e sul-americanos ou até mesmo índios peruanos tocando flauta e dançando para vender CDs numa praça (com a peculiaridade de estarem fantasiados meio que como índios de filme de cowboy).
Tudo isso faz do país um lugar muito cosmopolita e diferente do que muitos têm na imaginação. Embora o "clima" do lugar pareça um pouco mais deprê, uma coisa meio "irlandesa" (talvez o tempo tenha ajudado nessa minha comparação), não deixa de ser muito legal e digno de uns dias de visita.

Um comentário:

Cleberson disse...

Opa, e ai cara BLZ? Quero te fazer umas perguntas:
- estou planejandoo uma viagem parao ano que vem: Ainda não tenho roteiro, penso em começar pela america latina mesmo,por onde vc me indica começar?

- sempre tive vontade de ser um mochileiro, qual foi sua primeira viagem?

- qual a melhor epoca pra viajar, porque tem uma epoca que as passagens são mais baratas né?


Obrigado: Se puder me responda por email : cleberson.balbino@gmail.com