18/09/2010

Mostar e a sua ponte: Stari Most

Boa parte do tempo que se passa em Mostar é em função da Stari Most (Ponte Velha) e seus arredores (o próprio nome da cidade significa guardiã da ponte). A cidade é pequena e todo mundo vem ali para conhecer a tal ponte, que é Patrimônio da Humanidade e que, tragicamente, foi destruída na guerra em 1993, depois de permanecer em pé por mais de 420 anos (a versão atual foi terminada em 2004, sendo que durante o tempo em que ela estava derrubada, havia uma ponte provisória de cabos de aço e madeira).

A ponte é só para pedestres, toda feita em pedra, num arco que forma uma vista muito bonita quando olhada de lado. A pedra é bem lisa e, até por isso, foram colocados alguns degraus para evitar que as pessoas caiam. De uma certa forma, lembra um pouco algumas pontes de Veneza.
Ela serve para unir os dois lados da cidade velha, separados pelo rio Neretva. Uma das coisas mais surpreendentes é a cor desse rio: um verde esmeralda que pode ser visto de qualquer ângulo, faça chuva ou faça sol. O rio é típico de regiões montanhosas: é profundo, gelado e com pouca vida aquática.

No meio da ponte, é comum encontrar rapazes que ganham dinheiro se atirando lá de cima, de uma altura de cerca de 30m. Eles ficam na beirada da proteção, ameaçando se atirar por vários minutos, até que consigam reunir uma determinada quantia de dinheiro ou que alguém lhes pague um pouco mais para que se atirem imediatamente, com direito a fotos e filmagem. Dizem, ainda, que todo homem que mora na cidade, alguma vez na vida, pula também, em nome da tradição; caso contrário não é considerado homem de verdade.

Nos dois lados da Stari Most há torres que serviam para vigiá-la e que ajudam a apoiar as cabeceiras. Em ambos há possibilidade de subir por escadas e ter acesso a museus sobre a própria ponte e sobre a cidade; do lado ocidental, por onde a maioria chega, o museu é particular e só tem algumas fotos, a maioria do tempo da guerra. Do lado oriental, o museu é público (mas também pago) e os objetos à mostra são relacionados à construção e à reconstrução da ponte. Nesse museu há alguns vídeos passando continuamente sobre a história do lugar.

Da ponte, tem-se vista bonitas para os dois lados, com outras pontes ao longe. A melhor mesmo é a vista da Mesquita Koski Mehmed Paša, para o norte.

A mesma mesquita de Koski Mehmed Paša serve como o melhor lugar para bater fotos da ponte. Para isso, no entanto, é preciso pagar 2KM (moeda da bósnia, o que equivale a R$ 2,50) para poder subir no minarete (torre de onde os chamamentos para preces são feitos). O caminho é bem apertado e tortuoso pela escadinha de mão única do minarete. Uma vez lá em cima, embora a vista seja espetacular, o pouco espaço e aperto faz com que ninguém fique mais do que 5 minutos por lá.

Nenhum comentário: