04/11/2010

Dubrovnik - comida


Comemos muito bem e, ao contrário do que diziam, barato, nos cinco dias e quatro noites que passamos em Dubrovnik.

Não sei se é porque o real está forte e o câmbio nos favorece, ou se é porque o Brasil não sofreu tanto os efeitos da crise de 2008/2009 como os europeus ou o quê, mas fato é que fizemos refeições que aqui no Brasil não sairiam por menos de 50 reais por pessoa a preços em torno de 25, 30 reais, em restaurantes nos melhores lugares do Centro Histórico de Dubrovnik, sem frescura de reserva nem nada.
A culinária é basicamente italiana, com bastante frutos do mar. O que mais se vê são pratos como risotos de frutos do mar, camarões assados, fritos e etc., lulas, polvos, sardinhas, massas com todos os molhos possíveis, pizzas, saladas e por aí vai.

A preferência absoluta de todos nós do grupo e que parece ser uma unanimidade entre turistas, mochileiros, pessoas locais, guias de turismo, livros de viagem e etc. é o restaurante Lokanda Peskarija, que fica bem no meio do porto velho da cidade. A vista é espetacular, a comida é excelente e o preço muito bom. Cheguei a guardar a nota fiscal de uma das duas refeições que fizemos lá para provar para quem não acredita que gastamos só R$ 22 por pessoa para comer risoto negro, lula frita, sardinhas e ainda um copo de vinho da casa. O lugar fica à direita na foto abaixo, com os guarda-sóis fechado ainda cedo da manhã.
A única dica para aproveitar bem o lugar é não chegar nos horários de pico, como ao meio-dia em ponto e às 20hs, sob o risco de ter de esperar uma meia hora na fila que se forma. Como nos planejamos, no primeiro dia fomos mais tarde e fomos atendidos na hora. Na segunda vez levamos uns 10min da fila e logo estávamos sentados.

Outra indicação é o Kamenice, na pracinha em que a feira matinal é armada. O cardápio não foge muito das comidas que falei acima, mas como há vários restaurantes ao redor, dá um clima maior de agito no lugar.
Nao consigo lembrar do nome e como não aparece nos guias, não tenho como encontrar, mas outra boa pedida é a varandinha (o restaurante tem o nome de uma mulher, tipo Marija's) que fica à esquerda da Catedral da Assunção da Virgem, próximo ao portão da cidade velha que dá para o porto velho.

A maioria dos albergues e hotéis baratos não oferece café da manhã, por isso sempre se tem que pensar numa opção para isso. No primeiro dia, o que fiz foi dar uma escapada até o mercado (feira) na pracinha de que falei antes, a uma quadra da Placa (ou Stradum), que é a principal da cidade velha, para comprar algumas frutas frescas e croissants. Vende-se muita coisa difícil de encontrar por aqui ainda fresca: cerejas (fora da calda, é claro), mirtilo, framboesa, etc.
Nos demais dias, sempre que queríamos café da manhã, íamos aleatoriamente olhando para os restaurantes que existem nas ruas que usávamos para descer até a Placa. Na Siroka, na Dordiceva e na Cubranonicev estão a maioria desses lugares.

Quando a fome não é tanta ou o desejo é de economizar, o melhor é procurar uma pizzaria. A maior concentração delas na cidade velha fica nas ruelas mais estreitas bem ao centro da cidade velha, um pouco longe da Placa. Se não estou enganado, é na rua Nikole Bozidarevica.

Nenhum comentário: