28/01/2009

AMSTERDAM - Albergue

Amsterdam tem uma infinidade de albergues para se escolher, dada a tradição festeira da cidade. Contudo, reservar com antecedência é essencial para não entrar em uma furada.

Nos finais de semana, milhares de pessoas pegam voos de companhias low fare só para passar o final de semana fazendo festa por lá. É comum encontrar grupos de amigos, especialmente ingleses (e inglesas!) fazendo despedidas de solteiro na cidade. Por isso, muitos acabam lotados, tornando praticamente impossível conseguir um dormitório de última hora numa sexta ou num sábado. Um amigo meu, o Harold, é testemunha disso. Passou 17 longas horas se revezando com amigos na busca de uma cama - enquanto uns cuidavam das mochilas num parque, outros batiam perna, sem resultado. Acabaram apelando para um hotel.

Fora a questão da grande diversidade e da necessidade de reserva prévia, está o fato de ser preciso escolher bem antes de fechar com um albergue. Falo aqui do perfil de lugar que se quer para passar a noite. Com a tradição liberal da cidade, alguns albergues acabaram se tornando verdadeiros antros para drogados de todos os tipos. Isso sem falar em albergues que são frequentados pela galerinha mais nova, que ainda tem a mentalidade de que se divertir é fazer bagunça no hotel, como nas excursões do colégio.

O pessoal que viajou comigo e eu optamos por reservar um albergue que não admitisse drogas ou cigarro, em primeiro lugar. Depois de muito pesquisar nos guias e no orkut, a opção unânime acabou sendo o Stayokay Vondelpark. Esse albergue, de uma rede de vários com o mesmo prefixo por toda a Holanda, tem uma reputação muito boa, sendo eleito por vários anos como um dos melhores da Europa.

As principais críticas que ouvimos em relação ao lugar, antes de ir para lá, estavam relacionadas à suposta distância em relação ao centro da cidade e ao Red Light District. Não poderia ter sido mais equivocada essa impressão, segundo pudemos constatar depois que estivemos lá. A localização, na nossa opinião, é ótima. O albergue fica a uns 100m de Leidseplein, a praça que concentra o maior número de pubs, boates e restaurantes da cidade.

É verdade que não fica tão perto do Red Light, mas convenhamos que, depois de umasvisitas, você não quer necessariamente dormir naquela parte da cidade. Mesmo assim, não dá mais do que uns 20 a 25 minutos de caminhada. Se for de bonde, então, são apenas umas 4 ou 5 paradas até o "Dam", ponto mais próximo do famoso "distrito".
O Stayokay Vondelpark tem esse nome porque fica bem ao lado do parque. O lugar é muito aprazível, mas fica fechado com grades à noite. O prédio principal foi construído onde antigamente era um internato, por isso tem uma atmosfera bem legal.

Tudo é bastante moderno e relativamente mais limpo do que a média dos albergues. Há bastante quartos, mas mesmo assim eles conseguem manter a coisa em ordem. A área de uso comum é bem ampla e junta sempre uma galera em volta.
O café da manhã também é muito bom, contando até com leite achocolatado saindo da máquina. Fizemos também algumas refeições com o "prato do dia" servido no restaurante. Uma boa opção de comida por cerca de 8 euros, em valores de 2007.

No hall do albergue, um quadrinho demonstra como ele (e quase tudo na cidade) está abaixo do nível do mar.
Ficamos num quarto de 6, com três beliches e banheiro privativo, com uma ampla janela que servia para secar bem as toalhas e as meias. Todos tinham lockers individuais, trancados com cadeado do hóspede, para a mochila inteira.

Para chegar lá, bastou-nos descer do bonde que pegamos na Centraal na praça de Leidsplein e, dali, atravessar uma ponte. O nome da ruazinha sem saída do albergue, onde não estacionam carros, é Zanpad. Não tem erro.

2 comentários:

Catarina RS disse...

Adorei seu blog, acabei de encontrá-lo e ele está sendo muito útil já que sou uma pessoa meio confusa tentando planejar a minha primeira ida para a Europa. Tenho uma pergunta: onde, na internet, eu encontro um site com as linhas de trem e trajetos de avião, com os preços e as cidades todas? Obrigada

André Cella disse...

Olá,

Olha, pelo que sei, só existem sites de pesquisa de passagens de avião (como o Skyscanner e os mais tradicionais) e sites individuais das cias de trem. Tudo junto numa só seria tanta informação que ficaria impraticável. Escolha o lugar que precisa e pesquise a partir dele, com a cia nacional de trem e com as cias aéreas que voam para lá. Visitar página do aeroporto da cidade no Wikipedia já serve como ponto de partida para saber para onde saem voos desde lá.
Abraço