18/01/2009

Dicas para fotos - Parte II

Continuando com o assunto das fotos, ainda tenho algumas outras coisas para falar...
  • RESOLUÇÃO: as máquinas digitais permitem que se escolha a resolução em que as fotos são tiradas. Uma máquina de 8 megapixels, por exemplo, permite que se tire fotos em 5, 3 ou até 1 megapixel. Isso não significa que uma foto vai sair melhor que a outra, só por causa da resolução. Tem a ver com o tamanho que a foto vai ter. Fotos de 3 megapixels, por exemplo, ficam muito bem se forem impressas no tamanho normal das fotos que colocamos em albuns (10x15cm). Fotos de 5 megapixels já são as que garantem boa qualidade em fotos até do tamanho de uma folha A4. 8 megapixels são recomendados para fotos maiores ainda, e por aí vai. O tamanho do arquivo gerado em cada foto vai depender em boa parte dos megapixels com os quais a foto foi tirada. Quanto maior, mais pesado o arquivo e, consequentemente, menos espaço vai sobrar no seu cartão de memória. Além disso, fotos mais pesadas acabam se tornando mais difíceis de manusear em computadores mais antigos e com menos memória. Por isso tudo, avalie bem quais são os seus objetivos com as fotos e só use resoluções maiores se tiver vontade de fazer grandes porta-retratos com elas no futuro - se não, é só perda de espaço virtual.
  • TAMANHO OU FORMATO: normalmente, as máquinas digitais vêm programadas para tirar fotos com o formato de uma tela de computador normal (não as widescreen). Assim é com as da Sony. Na hora de imprimi-las, contudo, o formato é mais retangular - mesmo comprimento, mas menos altura, nas fotos horizontais. Isso significa que, na impressão, serão perdidas duas faixas horizontais das suas fotos, uma em cima e outra embaixo. Se você não fizer nada a respeito antes de mandar "revelar" suas fotos, poderá ficar decepcionado com uma ponta de uma torre cortada ou com algo escrito na parte debaixo que ficou de fora. Por isso é que é sempre recomendável cortar as fotos que pretende imprimir no formato 10x15 manualmente. Programas como o Picasa, disponível gratuitamente na internet, são bons para fazer isso. Cortando manualmente as fotos para o formato 10x15, você escolhe o que prefere preservar - mais céu ou mais chão. No caso das fotos tiradas na vertical, escolhe se quer preservar na versão impressa mais ou lado esquerdo ou o direito. É uma boa oportunidade para tirar alguma coisa que não ficou tão legal na foto. Para visualizar as fotos na TV ou na tela do computador, entretanto, a versão inteira original é a melhor, por isso mantenha sempre uma cópia nos seus arquivos, usando as versões cortadas apenas para mandar ao laboratório fotográfico.
  • OLHOS VERMELHOS: embora muitas máquinas anunciem que reduzem a ocorrência de olhos vermelhos quando acionada determinada função especial, na prática os resultados nem sempre são satisfatórios. Fotos à noite, com flash, especialmente de pessoas com olhos mais claros, geralmente deixam olhos vermelhos aparecendo. Para solucionar essa situação, geralmente percebida só depois que já se está olhando as fotos no computador, o melhor também é usar programas de correção. Assim como falei no parágrafo acima, o Picasa resolve a maior parte desses problemas. Na versão 3, lançada há pouco tempo, a correção é automática, mas mesmo assim às vezes alguns olhos vermelhos não são corrigidos e o programa permite que, com o mouse, se selecione a área a ser corrigida; depois o programa mesmo aplica a cor mais escura sobre o tom avermelhado.
  • ENDIREITANDO FOTOS: dificilmente conseguimos perceber, ao bater uma foto, se ela não ficou um pouquinho inclinada para algum dos lados. Se a foto foi batida num barco, então, é quase impossível conseguir tirá-la com o horizonte bem retinho. Tem gente que gosta de fotos "tortas"; eu, particularmente, só uso esse recurso em situações especiais, como a partir de um teleférico, ou para dar uma noção de altura que não se consegue tão bem numa foto na vertical. De qualquer forma, se a sua intenção é ter fotos "retinhas", o fato de ela ter saído não muito bem nesse quesito pode ser facilmente solucionado, mais uma vez, com programas como o Picasa, que é o que eu uso. Esses softwares, feitos para usuários leigos (como nós!) permitem usar a função "Endireitar". Clicando nela, aparece uma "grade" de linhas pontilhadas para orientar a visão. Aí, com o mouse, gira-se a foto para um lado ou para o outro, até que esteja satisfatoriamente retificada. Depois, é só confirmar. Nem sempre o horizonte serve como referência para retificar uma foto, porque às vezes o fundo é feito de prédios ou montanhas. Nesses casos, o melhor é adotar como referencial um poste, uma pessoa ou outro objeto mais ao centro da foto, inclusive se valendo das linhas verticais para retificá-la.
  • CLAREAMENTO DE FOTOS ESCURAS: os softwares de fotos permitem que se clareie fotos muito escuras, o que normalmente ocorre com aquelas tiradas no interior de prédios ou à noite. Contudo, essa função prejudica bastante a qualidade da imagem. Tente e observe o resultado: depois de clarear uma foto e salvar a alteração, o arquivo perde bastante em tamanho. A tendência é que apareçam pontos esbranquiçados ou até mesmo quadriculados se o recurso é utilizado de forma exagerada. Por isso tudo, moderação é essencial nessa "ajeitadinha" - caso contrário sua foto ficará parecendo que foi tirada de um celular.
  • NA HORA DE IMPRIMIR: se você pretende imprimir algumas fotos, saiba antes como pretende imprimi-las. A maioria dos lugares oferece duas opções: brilhosas ou opacas. Só olhando exemplos das duas para saber qual você prefere. Eu já tive dos dois jeitos, mas atualmente tenho preferido as brilhosas, porque acho que dão um aspecto mais natural à foto. Outra opção é com relação à moldura: pode-se fazer com uma moldura branca ao redor de cada foto (fica legal porque parece um cartão-postal ou aquelas fotos antigas) ou sem moldura, com a foto indo até o corte do papel. Por fim, com relação ao preço, saiba que quanto maior o número de fotos impressas, menor tende a ser o preço por cada uma delas. Recentemente, comecei a mandar imprimir as minhas pela internet (Saraiva, Americanas e outros vários laboratórios oferecem esse serviço), sendo que consegui preços de cerca de 40 centavos por foto (quantidades iguais ou maiores que 300) e frete grátis. Não tenho o que reclamar da qualidade.

Nenhum comentário: