13/02/2009

AMSTERDAM - De barquinho

Depois de um almoço e um merecido descanso, decidimos que na parte da tarde de sábado faríamos um dos vários passeios de barco que funcionam como um "city tour". Só dessa maneira é que poderíamos ver alguns lugares que ficam muito longe para se ir a pé ou que seria necessário tomar algum ferry.
Embora os canais do centro da cidade sejam estreitos, ao norte da estação de trem a cidade continua, só que os canais são tão largos que até mesmo alguns navios andam por ali.

Com essa idéia na cabeça, caminhamos da região onde passamos a manhã (Vondelpark e Museumplein) até o centro, de onde saem os barquinhos. Se a ideia é ir de bonde, basta salta na parada Dam, ao lado do castelo real.
O passeio em si não tem grandes atrativos que não a própria cidade, com suas peculiares casas à beira da água. De vez em quando uma igreja com uma torre que vai além dos três ou quatro andares tradicionais.

Uma das coisas mais interessantes que se vê são as famosas casas-barco. Na época em que estávamos em Amsterdam, estava passando uma novela das oito aqui no Brasil em que uma das personagens morava numa dessas casas. Quando falava ao telefone com a minha mãe, era só o que ela perguntava: se eu tinha visto as tais casinhas-barco.

Assim como as favelas, a famosa atração das casas-barco surgiu, na verdade, de um problema social. A falta de moradias no período do pós-guerra levou o governo a autorizar que pessoas morassem em barcos parados permanentemente, legalizando assim a possibilidade de puxar a fiação elétrica e água tratada até o interior dessas habitações.

Fones de ouvido com audio em vários idiomas geralmente estão à disposição nesse tipo de barquinho e, se não te der sono ficar escutando, bastante coisa curiosa e útil sobre a cidade se aprende...

Deixo vocês com algumas fotos do passeio...

Um comentário:

alunosdosam disse...

Mt bacana seu blog.

Parabéns!