09/02/2009

AMSTERDAM - Red Light

Faça o que eu digo; não faça o que fizemos: NÃO TIRE FOTOS de prostitutas no Red Light District de Amsterdam. Todos os guias dão essa recomendação e há placas espalhadas pelo lugar dizendo a mesma coisa. Ainda assim, temos alguma daquele pitoresco recanto da cidade, a maioria delas tiradas discretamente pelo Rafael, enquanto caminhávamos, à distância e com zoom.
O Red Light District fica bastante próximo ao centro da cidade, a apenas algumas quadras da estação central de trem. Num mapa da cidade, para entender melhor, ele fica principalmente ao longo do Oudezijds Voorburgwaal, entre as ruas Oudezijds Armstg. e a Lange Niezel.

Apesar de tudo que pode passar pela cabeça de quem ouve falar de lá, é uma zona bastante segura para se caminhar e passear durante o dia e até boa parte da noite. Só depois da 1h da manhã é que, segundo dizem, a barra começa a ficar um pouco mais pesada. É comum ver crianças por ali e famílias inteiras passando a pé ou de barquinho, embora se possa também perceber que muitos dos sujeitos que ficam meio de bobeira são também cafetões ou traficantes.
O lugar é basicamente parecido com o resto da cidade (casas estreitas e altas, grudadas umas nas outras, de frente para um canal). Só que aqui a peculiaridade é que muitas pessoas, ao longo dos anos, começaram a alugar o andar debaixo de suas casas para prostitutas.
As janelas foram aumentadas, passando a parecer vitrines, e dali de dentro as mulheres fazem a sua propaganda. Às vezes até saem para o lado de fora, para chamar ou seduzir quem está passando. Se alguém decide entrar, elas apenas fecham a cortininha e tudo acontece ali mesmo. Dizem (não provamos!) que os programas custam em média uns 50 euros, mas não dá direito a mais do que uns 15 ou 20 minutos.

Entre uma e outra, foram se estabelecendo dezenas de sex shops, com tudo que é tipo de produto, além de coffee shops (as tais lojas onde se compra e fuma maconha em pequenas quantidades) e cinemas pornôs, bem como casas de strip.
Como não poderia deixar de ser, o que mais se vê na rua são grupos de amigos (homens) bebendo ou simplesmente avacalhando - mas em nenhum momento nos sentimos metidos em alguma confusão. Muita gente vem ali só para fazer despedidas de solteiro ou simplesmente para ver, como a maioria.

Saindo um pouco da "rua" principal (o canal), alguns bequinhos mais estreitos revelam uma variedade um pouco maior nas opções: mulheres negras, asiáticas, gordas, grávidas, anãs, travestis, etc. Algumas coisas que se vê são realmente bizarras!

O movimento começa na metade da tarde e à noite, antes da 1h, o maior número de pessoas é visto na região.

Algumas das principais atrações da cidade estão ali pelo meio, tais como o mercado (De Waag) e a Oudezijdskerk (Igreja da cidade velha).



Um comentário:

Iza Berger disse...

Adoro o seu blog! . Estive em Amsterdam recentemente e tamb[em fiz um post no meu blog sobre o Red Light District passa lá para dar uma olhada: http://www.izapelomundo.blogspot.com.br/2013/12/visitando-o-red-light-district-amsterdam.html#.Uq9UkvRDuSo