26/01/2012

Ucrânia agora sem visto


Está publicado na página da Embaixada da Ucrânia no Brasil e no site da Presidência da República do nosso país, na parte dos decretos presidenciais, o acordo que suprimiu reciprocamente a exigência de vistos para visitar este país europeu. Leia a nota oficial da embaixada, emitida há algumas semanas:

"Em 30 de dezembro de 2011 entrou em vigor o Acordo entre o Governo da República Federativa do Brasil e o Governo da Ucrânia sobre Isenção Parcial de Vistos, assinado em Kiev, em 2 de dezembro de 2009.

Ele estabelece, em seu Artigo 1, a desnecessidade de vistos em passaportes válidos para entrar, permanecer, transitar e sair do Estado da outra Parte Contratante para fins de turismo e negócios. Essa isenção é válida para períodos de até 90 (noventa) dias, durante um intervalo de 180 (cento e oitenta) dias, contado da data da primeira entrada (Artigo 2)."

Com esse acordo com a Ucrânia, a exigência de vistos para brasileiros que querem visitar a Europa se reduziu ainda mais. Na Europa, apenas a Armênia, o Azerbaijão (esses dois, países do Cáucaso pouco visitados), a Sérvia e a Bielorússia (ou Belarus) seguem exigindo a autorização prévia para passaportes brasileiros, sendo que a Sérvia deve aboli-la em breve e o Azerbaijão emite vistos na chegada do aeroporto. 

A medida certamente tem como motivo o incentivo ao turismo, num ano em que a Eurocopa será sediada nele, e reflete a percepção mundial de que o Brasil é um país que tem muita gente interessada em viajar pelo mundo. 

Entretanto, o nosso maior destino de visitas, os EUA, seguem exigindo o visto, ainda que recentemente tenham noticiado que facilitarão o processo de renovação e que agilizarão as entrevistas para as primeiras emissões. Outros destinos bastante procurados por brasileiros que ainda exigem visto são a Austrália (que só isenta a Nova Zelândia e por isso não dá sinais de que abolirá a burocracia tão cedo), a China (que exige de quase todo mundo, mas deixa Hong Kong livre ao acesso de quase todos os países), o Japão (que sempre temeu a imigração ilegal de descendentes de seus imigrantes), a Índia, o Canadá (pelos mesmos motivos dos EUA) e o México (que flexibilizou bastante com as autorizações eletrônicas via companhia aérea e com a aceitação do visto americano).

Muitos países africanos (com a exceção dos mais turísticos, como a África do Sul, o Marrocos, o Egito e o Quênia) ainda exigem visto dos brasileiros, como também o fazem alguns do Sudeste Asiático que mais parecem estar interessados nas taxas que arrecadam com essa autorização do que com o turismo (Vietnã, Camboja - que aceita até cartão de crédito, Laos, Myanmar). Já no Oriente Médio, em países como Qatar e Emirados Árabes, a política é a de associar a emissão do visto à escolha de uma companhia aérea oficial ou à hospedagem em hotéis de 4 ou 5 estrelas, que providenciam o visto para a chegada do visitante.

A necessidade de visto certamente desestimula muita gente de dar uma esticadinha numa viagem ou mesmo de decidir por um lugar na hora de viajar, especialmente em se tratando de mochileiros com orçamento apertado.

2 comentários:

Daniela disse...

Ola Andre,
Estou com passagem comprada para a Ucrania no dia 17 de fevereiro e estou com mede deste acordo... Você sabe de alguem que viajou para la sem o visto depois do acordo?
att,

Daniela

André Augusto Cella disse...

Aconselharia apenas levar impressa a página do Ministério de Relações Exteriores da Ucrânia, que assegura essa informação: http://www.mfa.gov.ua/mfa/en/publication/content/1865.htm