10/08/12

Lugares mais "baratos" do mundo (2011 e 2012)


Se tem uma coisa que todo mundo quer, numa viagem, é um bom custo-benefício. Pensando nisso, todos os anos a Lonely Planet, em seu site oficial, costuma divulgar listas com os países que, por motivos de crise econômica, uma baixa súbita no turismo ou simplesmente por uma desvalorização do câmbio acabam se tornando uma “pechincha” para os viajantes.

A lista não traz necessariamente países “baratos”, mas países que se tornaram mais acessíveis aos viajantes de um ano para o outro. Confira as listas de 2011 e 2012 e veja se concorda com a opinião dos caras:

2011

1 – Bangladesh: é considerado como um dos países mais baratos da Terra para se viajar, sendo possível fazer refeições excelentes por menos de US$ 1,00, dormir em hotéis bons por US$ 10 e fazer safaris particulares por parques nacionais remotos, de dia inteiro, por US$ 150, com direito a ver tigres de bengala em seu habitat. O país é miserável, superpovoado e mais fechado que a Índia (é muçulmano), o que explica o desinteresse dos turistas em geral.

2 – Nicarágua: enquanto s vizinhos centro-americanos (Costa Rica, Honduras, Panamá) inflacionam seus preços com o aumento do turismo, este país segue barato, com atrações mais alternativas, mas que exigem certa cautela no quesito segurança, principalmente em Managua.

3 – Washington, EUA: a capital americana é voltada para o turismo cívico e quase todas as atrações são públicas e gratuitas.

4 – Paris (!?): o site reconhece que a capital francesa sempre será cara, mas destaca que lá, ser pão duro pode ser parte de uma viagem legal. Sugere que se leve um saca-rolhas e que se compre queijos e vinhos para fazer as refeições nos parques públicos, além de usar as padarias que vendem croissants a 1 euro.


5 – Namíbia: o país aparece como alternativa mais em conta d que Botswana, África do Sul e outros, para os interessados em safaris e caças.

6 – Filipinas: o pais disputa o título de destino de praia mais barato com a Tailândia, mas sem dúvida perde em popularidade. Está aumentando seu marketing e conseguiu emplacar um rio subterrâneo como uma das 7 Maravilhas Naturais do planeta, além de colocar a ilha de Boaracay no mapa do turismo.

7 – Argentina: embora não seja mais aquele absurdo de barato que foi no período logo após a crise de 2011, a Argentina, com seus problemas econômicos frequentes, continua oferecendo atrações de alto padrão, comida de excelente qualidade, esqui, tours e arte a preços muito inferiores ao “Primeiro Mundo”. (Aliás, desde a proibição de compra de dólares aos moradores daquele país que não estejam com viagem marcada, a cotação do dólar paralelo subiu tanto que já está valendo mais de 60% da cotação oficial. A dica, portanto, é levar dólares e ir gastando lá em hotéis, lojas e restaurantes, recebendo bem mais do que nas casas de câmbio oficiais.)

8 – Nápoles: embora esteja num país notoriamente caro (Itália), Nápoles tem como uma das suas principais atrações a comida, que geralmente e simples, barata, e fresquinha.


9 – Ucrânia: seria um dos últimos países do leste europeu que seguem com preços realmente bem mais baixos, mas para aproveitar isso a dica é fugir da capital.

10 – Síria: estava na lista de 2011, mas será que alguém iria para lá hoje em dia??? Tá explicado o motivo.

2012

1 – Nordeste dos EUA (Nova York, Boston, Washington): é óbvio que não são lugares baratos, mas no início do ano, com a desvalorização do dólar no mundo inteiro, estavam bem mais baratos do que de costume. O site aconselha, ainda, que se usem os ônibus como meio mais barato de deslocamento de um canto para o outro. (Ainda estou devendo uma visita a Nova York, mas uma hora sai...)

2 – Japão: é sempre considerado como um dos lugares mais caros do mundo, mas com o tsunami e a crise econômica dos últimos anos, algumas atrações como o esqui, o parque da Disney local e algumas refeições estão até mais baratos do que na Europa ou nos EUA. OK, neste ano o lugar deverá estar cheio de corintianos, por isso é melhor deixar para outra.

3 – Tadjiquistão: esse país da Ásia Central é um desconhecido para a imensa maioria da população, mas consta como uma das mais baratas das ex-repúblicas soviéticas. Lugar para os mais aventureiros, com vontade de ver montanhas, pastores nômades, Ladas sucateados e arquitetura comunista.

4 – Porto, Portugal: Portugal é sempre um dos países com o menor custo de vida na Europa Ocidental, tem passagens diretas de avião partindo de quase tudo quanto é cidade e, de quebra, fala a nossa língua. O site recomenda hospedagens baratas e degustações gratuitas de vinho do Porto.


5 – Lesoto: país literalmente no meio da África do Sul, bem mais barato que o vizinho grandalhão, mas que nunca esteve nos meus planos.

6 – Iquitos, Peru: a capital da Amazônia peruana é bem mais acessível em termos de preço do que as nossas capitais do Norte.

7 – San Francisco, EUA: segundo a LP, a cidade tem um custo de vida alto para quem mora lá, mas as atrações turísticas ou são de graça ou são baratas. Os hotéis, segundo o site, têm boa qualidade e diárias de menos de US$ 100.

8 – Macedonia: ex-república iugoslava que começou a investir pesado em marketing turístico, é uma das apostas para a próxima “queridinha” da Europa, posto que foi assumido pela Croácia há algum tempo e que já tem novos pretendentes.

9 – Vietnã: o país é considerado sempre como um dos melhores lugares no quesito custo-benefício no mundo, com uma moeda hiperdesvalorizada, comidas de rua a preços ridículos e um crescente interesse de turistas ocidentais.

10 – Mérida, México: o Lonely Planet sugere essa cidade como uma alternativa segura, barata e tranquila para experimentar o “verdadeiro México”, fugindo de lugares disputados como a Riviera Maia, Acapulco e a região de Los Cabos, ou perigosos como a Capital Federal e o norte do país.

Como sempre digo, listas são muito subjetivas, mas sempre atraem o interesse de todo mundo. Em 2010, por exemplo, a LP citou Las Vegas, Kenya, Bulgaria, Índia, México, Malásia, África do Sul, Londres, Tailândia e Islândia... Por que quase nenhuma se repetiu nos anos seguintes?

Um comentário:

Anônimo disse...

Bali e baratissimo, massagem a 6 dolares, imagens incriveis e hoteis deliciosos.
Caro e a passagem...