15/08/2012

Preparação do 3º mochilão à Europa


Comparando com a complexidade que foi a organização dos dois primeiros mochilões à Europa, o terceiro foi uma barbada. Visitaríamos só 2 países, dormindo em apenas 3 lugares diferentes, num espaço de curto de 2 semanas. Além disso, seriam somente 2 pessoas, indo e voltando na mesma data e nos mesmos voos, com os mesmos períodos de férias.

Nas duas primeiras vezes que viajei com a gurizada, ademais, delegávamos as reservas dos albergues que escolhíamos à mesma agência de turismo com quem reservávamos as passagens aéreas (inclusive pagávamos antecipadamente pela hospedagem) – coisa que prometi para mim mesmo que nunca mais faria depois de alguns desgastes em função da demora do agente para nos confirmar que tudo tinha dado certo, em 2007, e por causa de erros nas datas das reservas, que quase nos custaram ficar sem hospedagem num país pequeno e caro como Luxemburgo.

Dessa vez, tirei os intermediários, criei perfis em sites de reservas de albergues e fiz tudo por minha conta, mostrando sempre as opções ao Ângelo. Os albergues de Portugal foram reservados pelo site Hostelworld, que a partir da segunda reserva já diminui as taxas que cobra. O albergue de Londres foi reservado pelo site da Hostelling International, e assim que chegamos lá fizemos as carteirinhas da HI da Inglaterra e do País de Gales, para ter um desconto nas diárias (como ficaríamos 7 dias, já valia mais a pena pagar a anuidade de 24 libras do que pagar a tarifa de não sócios no albergue – tudo sem burocracia, na hora mesmo).

Inicialmente, tinha previsto que faríamos a viagem ali pelo dia 22 ou 23 de setembro daquele ano, exatamente a partir de quando as tarifas das passagens aéreas sofrem uma súbita redução na maioria das companhias, por ser o início da primavera (ou outono, no hemisfério norte) o marco que delimita a alta da baixa temporada. Porém, acabamos marcando férias para um pouco antes, emendando com os feriadões de 7 de setembro e de 20 de setembro (feriado estadual no RS), pagando pouco mais de R$ 350 de diferença nas passagens.

A opção de companhia aérea parecia óbvia desde o início e foi com a própria TAP que compramos todos os voos, emitindo por agência a passagem. Ficou assim:

4 de setembro: POA – Guarulhos – Porto
9 de setembro: Lisboa – Londres (Heathrow)
16 de setembro: Londres (Heathrow) – Lisboa – Brasília – POA




O trecho interno entre Porto e Lisboa seria feito de trem, vendo as passagens na hora mesmo. Só cogitávamos fazer mais alguma ou outra cidade no interior da Inglaterra, mas deixaríamos isso para ver lá mesmo, já que a intenção era dormir todas as 7 noites em Londres.

Naquela época, recém estavam começando a falar em crise econômica mundial e os jornais só mencionavam uma “crise das hipotecas”  como algo restrito aos EUA. Já haviam ocorrido algumas quedas bruscas nas bolsas de valores, mas o dólar estava cotado a maravilhosos R$ 1,60, a libra esterlina pela primeira vez baixava dos R$ 3,00 (estava cotada a R$ 2,92 no dia em que pisamos em Londres) e o euro também não assustava mais ninguém. Enfim, era um momento para ninguém botar defeito do ponto de vista da oportunidade para viajar.

Os três trechos de passagens juntos custaram algo em torno de R$ 2650,00, pagamos cerca de 22 libras (na média, porque há preços diferentes conforme o dia da semana) para ficar num albergue no centro de Londres por 7 noite, e coisa de 16 euros por noite nos albergues portugueses. A viagem toda não saiu mais do que uns R$ 5.300,00, mesmo passando boa parte do tempo num lugar caro como a Inglaterra.

A mochila, que era a mesma desde Machu Picchu (2002), foi recheada só com umas 5 camisetas, uma calça jeans extra, um par de tênis e outro de sapato, com alguns casaquinhos para o esperado frio londrino e uma camisa melhorzinha para sair. O resto, além dos itens pessoas de higiene, eu compraria na viagem mesmo, ou iria usando no corpo e levando na bagagem de mão.

Como naquele tempo, a imigração de brasileiros por Londres e por Lisboa assustavam bastante (assim como hoje o pessoal tem medo de Barajas, na Espanha), fomos bem calçados na documentação: seguro de viagem do cartão de crédito comprovado, reservas em nome dos dois para todos os dias, uns 500 euros em dinheiro, extrato do cartão de crédito e da conta corrente, documentos de prova do trabalho aqui no Brasil e roteiro na ponta da língua – para não dar galho!

2 comentários:

marilia dias disse...

OLA adorei o blog estou preparando um mochilao para abril 2013 estou amando as dicas
voces poderiam indicar o hostel que ficaram em londres
e alguma dica de hospedagem para paris tambem
obrigada!

André Augusto Cella disse...

Londres: YHA London Central, em Fitzrovia.

Paris: veja o menu "França" que há vários posts sobre a cidade.