23/08/2012

Passeios pelo Porto - ponte D Luís e o Douro

A linha de metrô que liga o centro velho do Porto a Vila Nova de Gaia (a cidadezinha do outro lado do rio Douro) faz um trajeto a céu aberto que, por si só, já vale como um passeio turístico. O trem passa pela parte superior da Ponte Dom Luís I, que é um dos mais importantes ícones da cidade do Porto e que permite uma bela vista das duas margens do rio, incluindo o bairro da Ribeira. 



A ponte Dom Luís I tem dois "andares": o de cima é só para o metrô e para pedestres, e o de baixo serve para carros e pedestres. Ela foi concluída em 1886 e a semelhança com a Torre Eiffel de Paris não é mera coincidência: seu projeto foi feito por um antigo sócio de Gustave Eiffel, seguindo a moda da época (Gustave Eiffel disputou o concurso público para projetar a ponte, mas perdeu para esse sócio).

Assim que chegamos do outro lado e descemos na estação Jardim dos Morros, viemos caminhando em direção ao antigo mosteiro da Nossa Senhora do Pilar, do qual se pode ter uma boa vista da ponte pela qual passamos havia pouco e do rio Douro. 





No ladinho da ponte, outra atração do Porto: o funicular dos Guindais, que foi reinaugurado em 2001, ano em que a cidade foi uma das Capitais Europeias da Cultura.

Foi ali em cima que descobrimos algo que qualquer um na cidade deveria estar sabendo, menos nós: naquele final de semana, ocorreria uma etapa da Redbull Air Race no Porto. Exatamente por isso, o rio Douro estava cheio daqueles marcos infláveis por meio dos quais os aviões da competição deveriam passar.



Além disso, havia várias vans de equipes de imprensa e muita movimentação de gente se preparando para o evento oficial no dia seguinte. Helicópteros voando por toda a extensão do rio aparentemente avaliavam se haveria condições de realizar o treino classificatório previsto para aquela tarde.

Alguns aviões até chegaram a sair, mas em poucos minutos tudo foi cancelado, devido ao mau tempo, segundo nos informaram. 

Depois de conhecermos um pouco dos arredores do antigo mosteiro, que estava fechado naquela hora, e de tentar fazer algumas fotos bacanas da vista, apesar do tempo, começamos a nossa descida em direção ao rio pelo Jardim dos Morros, que é separado do mosteiro pela Avenida da República.

Lá embaixo, vimos de pertinho os rabelos, que são os barcos típicos do rio Douro, utilizados antigamente para escoar a produção de vinho do Porto das partes mais altas do vale Douro até as vinícolas que se concentram em Vila Nova de Gaia, onde o produto era armazenado, comercializado e exportado. 




Nenhum comentário: