13/05/09

Como tirar o visto americano - Parte I

Há pouco mais de mês e meio, finalmente providenciei um visto americano – coisa que vinha adiando há alguns anos. Depois de termos decidido uma viagem no segundo semestre, minha namorada e eu passamos pela ‘via crucis’ imposta pelos americanos e já estamos com os nossos garantidos nos passaporte, por 5 anos.

Aproveito essa experiência recente para repassar aqui, a quem possa se interessar, os passos a serem seguidos para conseguir o dito cujo. Aviso: não é barato e, mesmo seguindo tudo direitinho, nada garante que se consiga...

1º - Passaporte: você deve possuir um passaporte válido, com pelo menos duas folhas em branco sobrando na parte dos vistos, que ainda tenha pelo menos 6 meses de validade a contar da data da sua provável chegada aos Estados Unidos. Pouco importa se é do modelo velho, de cor verde, ou dos novos, de cor azul. Caso não tenha passaporte, providencie o seu primeiro. Caso tenha, mas já esteja vencido ou prestes a vencer, providencie outro.

As taxas para o passaporte do modelo verde (nas cidades que ainda trabalham com este tipo de modelo) saem por R$ 89,71 e, geralmente, o passaporte fica pronto na hora. Tem que levar duas fotos tamanho 5x7, recentes, com data. Se no lugar onde você vai fazer o passaporte já trabalham com o modelo novo, azul, as taxas são de R$ 156,07. Além disso, deve-se marcar hora para fazê-lo e tirar a foto digital na própria Polícia, e depois retirá-lo num prazo não inferior a 3 dias úteis. Se você já teve passaporte antes e não o levar quando fizer o novo, paga as taxas em dobro. Para informações detalhadas, endereços, formulários e agendamentos, ver o site da Polícia Federal.

2º - Pagamento da taxa de acesso ao sistema de agendamento: com o passaporte em mãos, a primeira providência para tirar um visto americano é fazer o pagamento da taxa de acesso ao sistema de agendamento de entrevistas unificado de todos os Consulados e da Embaixada Americana no Brasil. O site Visto-EUA é o único canal de comunicação entre cidadãos brasileiros e os serviços consulares americanos, para efeitos de prestação de informações sobre vistos e para o início do processo de concessão do visto. Para entrar nele, é preciso que o requerente insira o seu número do passaporte e entre na página que encaminha o pagamento da taxa de R$ 38,00, que serve para até 5 pessoas da mesma família, que residam no mesmo endereço.

Essa taxa é obrigatória a todos que precisam fazer a entrevista e pode ser paga por cartão de crédito, cheque ou boleto bancário. Se for por cartão, ocorrendo a confirmação do pagamento imediatamente, o acesso fica liberado na hora. Se for por outros meios de pagamento, que implicam ir até um banco e fazer o pagamento, é necessário aguardar alguns dias até a confirmação.

Preenchimento dos formulários online: após o pagamento da taxa de R$ 38,00, o sistema libera o acesso aos formulários de pedido de visto. O requerente principal é o único que entra no sistema, caso estejam sendo requeridos mais de um visto para até 5 membros de uma mesma família. O principal documento a ser preenchido é o formulário DS-156, que desde janeiro, só pode ser preenchido de forma online, para ser gerado automaticamente pelo sistema ao final da inserção de todos os dados.

Tenha consigo todos os documentos necessários para o preenchimento, para não ter de ficar perdendo muito tempo ou parando e continuando em outro dia o processo. É preciso ter todos os dados de todos os solicitantes do visto, como número de passaporte, endereço, filiação, data de nascimento, CPF, profissão, dados sobre a existência de vistos americanos anteriormente concedidos, dados sobre viagens anteriores aos EUA, motivo da viagem, data provável da viagem, local onde se pretende ficar nos EUA, entre outros.

Embora o formulário online esteja com as perguntas em português, fica melhor respondê-las em inglês, porque ao final, o sistema gera um formulário todo em inglês. Caracteres especiais, como acentos, hífens e outros sinais acabam saindo desconfigurados ao final, por isso é melhor não usá-los no processo de preenchimento.

Depois das questões de dados pessoais, há uma série de perguntas que devem ser respondidas por cada solicitante, para ver se não pretendem desenvolver qualquer atividade ilegal naquele país ou para saber se não têm nenhum problema com a Justiça no Brasil.

Depois de estar tudo certinho e inserido, é possível gerar a versão imprimível do DS-156, que deverá ser levada à entrevista. Caso houver necessidade de retificar alguma coisa, é só entrar novamente no sistema e corrigir o erro, gerando um novo formulário impresso. Leve apenas a última versão.

Marcação da entrevista: depois de preenchidos todos os formulários dos solicitantes da mesma família, o sistema libera a possibilidade de marcação da entrevista. Primeiro, deve ser escolhido o Consulado no qual será feita a entrevista: São Paulo, Rio de Janeiro, Recife ou na Embaixada em Brasília. Não importa onde você mora; pode fazer em qualquer um deles. Eu fiz no Rio, para aproveitar e fazer um turismo na viagem.

São liberadas várias datas e vários horários (nos feriados brasileiros e americanos o Consulado não funciona), na qual a pessoa terá de ir com os demais solicitantes da família, se houver.

Uma vez escolhida a data e horário, o sistema gera um documento com código de barras que deve ser impresso e levado no dia da entrevista. Só um por família é necessário. Sem o documento, a pessoa não entra no consulado.

Pagamento da taxa de expedição do visto: agora, com a entrevista agendada, o negócio é procurar uma agência do Citibank (qualquer uma no Brasil) para fazer o pagamento da taxa de US$ 131 para cada passaporte. Leve cópia do passaporte ou o próprio na agencia, pois o recibo precisa conter o número e o nome da pessoa que está solicitando o visto. Pode-se usar motoboy, amigo ou despachante para pagar, não precisa ser o interessado – desde que conste o número do passaporte e o nome da pessoa no recibo. O pagamento é feito em real, pela cotação informada pelo Citibank no ato do pagamento, que pode até mesmo ser no mesmo dia, desde que antes, da entrevista.

Guarde o comprovante de pagamento e leve no dia da entrevista.

CONTINUA!!!

12 comentários:

marcia disse...

Olá,
Muito bom o post ref visto americano, bem detalhado!
parabéns!
visite-nos no:
http://jeitinhobrasileirodeviajar.blogspot.com

Moisés Almeida disse...

Excelente tópico.
Pretendo fazer um curso de inglês em 2011. Pelo o que li, não pareceu muito difícil. Passei por uma experiência parecida quando fui morar em Portugal. Fiz tudo no consulado de Porto Alegre, agora para os EUA vou ter que ir mais longe.

Anônimo disse...

Ola!
Jah tenho a entrevista marcada.
Porem, realmente fiquei na duvida de como preencher o formulário DS-156. Tem hora que acho que e ingles mais liguei para a central de informações e disseram que podia ser em portugues mesmo.
Sera que tem problema::
Como que voce fez::

Obrigada.

Carolina disse...

Com a crise economica americana esta facil para tirar o visto boa sorte a tds

André Cella disse...

Olha pessoal, essa questão de responder os formulários em português já foi muito discutida em foruns específicos do tema, e o que posso dizer é que realmente não tem problema - tanto faz ser em português ou inglês!

Ariel disse...

OLá, no campo name and telephone number of person in US who you will be staying with...
posso colocar o nome da minha mae que viaja comigo ou devo preencher somente se for uma pessoa de lá?

André Cella disse...

Só se for uma pessoa de lá - e nesse caso é melhor levar uma carta-convite. O seu acompanhante de viagem não precisa aparecer nos formulários, exceto se estiver tirando o visto com você.

Anônimo disse...

as entrevistas podem ser no sábado?

thaina@gmail.com disse...

Engraçado como eles mudam rápido as formas de fazer as coisas. Estive hoje no consulado. Hoje o visto já pode ser tirado para 10 anos e a taxa aumentou para 140 dolares. Uma coisa que vale a pena dizer, é que não importa a hora que você marca, tem que chegar lá cedo, e quando eu digo cedo, é cerca de 6:30 de manhã. Eu fiz em São Paulo, meu horário era 8am e eu cheguei as 7:30, já havia uma fila, e bem grande. Você pega uma fila para entrar, uma fila para pegar a senha, uma fila para a p´re entrevista (onde apenas conferem seu passaporte, olham se você preencheu o formulário e etc), depois, espera umas 3 horas para ter as digitais tiradas e ai vai para a entrevista final. Vale lembrar que você não fica menos de 3 horas lá dentro, isso se tiver sorte. Eu fiquei 4 horas e meia. A chamada de senhas no painel para tirar digital eh 100% aleatória, você pode esperar 40 minutos ou 2 horas, e vale lembrar que pessoas com cirança pequena (abaixo de 2 anos), gestantos, idosos e deficientes passam na frente, mas não de forma organizada, eles passam todos na sua frente de forma indiscriminada, em todos os guiches, e isso te atrasa bem mais. Tive o visto aprovado, estava em entrevista familiar com meus pais e nos já viajamos diversas vezes. Tudo que ele fez foi perguntar se eu trabalhava, mas também não pediu nenhum documento. Olhou nossos passaportes anteriores e não pediu mais nada, apenas aprovou. Mas para quem está indo sozinho ou principalmente quem já tem parente morando lá, é bom tomar mais cuidado. Estar trabalhando e estudando não é garantia nenhuma de nada, então, leve sempre formas de comprovar que vai voltar e esteja confiante na entrevista

Anônimo disse...

´Muito bom mas fiquei com uma dúvida: se vou tirar o visto pra mim, meu marido e as duas crianças, devo preencher umformulário para cada um ou basta o do solicitante principal?

obrigada

André Augusto Cella disse...

Eh um formulario de visto por pessoa e um formulario de marcação de entrevista e da alfandega por familia.

Anônimo disse...

O formulario ds160 deve ser preenchido por cada requerente! inclusive para crianças menores de 14 anos.

Abraço
http://www.visto-americano.net