18/09/2011

Caminito


Só fui conhecer o Caminito quando voltei a Buenos Aires em 2008 e confesso que não achei tudo aquilo que muita gente fala de lá.

É legal, é pitoresco, mas para mim ficou parecendo muito com um parque temático. Sim, porque tudo ficou tão “caracterizado” e tão voltado para o turista, que nada parece muito autêntico. As verdadeiras casas do bairro da Boca, para mim, são aquelas bem mais mal cuidadas na região próxima da Bombonera.
 
De certa forma, também, é um pouco constrangedor ter que ficar desviando de casais de dançarinos de tango que se oferecem para tirar fotos com os turistas em troca de alguns pesos, ou ainda de basicamente ficar entrando de lojinha em lojinha (porque tudo por ali são lojinhas em prédios históricos restaurados – ou restaurante e bares, nenhum de muita qualidade). Há uma poluição sonora violenta, porque um bar tenta levantar a sua música para o show de tango mais alto que a do bar vizinho, e aí já se imagina como tudo fica.
O lugar, como já disse no post sobre a Boca, é bastante policiado e por isso, em tese, não há qualquer problema de segurança, ao menos durante o dia. Entretanto, eles próprios recomendam que não se vá para além dos limites da zona turística, que basicamente são quatro ruas ao redor de uma quadra (uma delas sendo a Calle Caminito) e uma praça.

De outro lado, se você precisa levar algum souvenir da viagem e ainda não encontrou muita coisa no restante da cidade, veio a o lugar certo!

Nenhum comentário: