13/05/2012

Ko Samui - visão geral


Se Ko Phuket é a ilha tailandesa mais famosa no Oceano Índico, Ko Samui é a mais famosa no Oceano Pacífico.


Embora não seja tão conhecida no Brasil, Ko Samui tem atraído cada vez mais gente nos últimos anos – muitas dessas pessoas acabam preferindo justamente essa opção, por ser menos muvucada e por ter praias com águas ainda mais tranquilas do que as do Oceano Índico (e tão cristalinas quanto).

Por estar do “outro lado”, Ko Samui tem um clima diferente. As monções (períodos de chuva forte) ocorrem numa época distinta de Phuket, tendo seu auge nos meses de maio a setembro, enquanto que em Phuket o auge ocorre entre agosto e outubro. Além disso, janeiro costuma ser um mês que ainda tem um pouco de vento forte na ilha de Samui, por isso mesmo é que deixamos para visitá-la em último lugar, para ficar mais perto de fevereiro, que é quando começa o período “ideal” para uma visita.

Ko Samui tem um formato quase redondo e possui boas praias e todo o seu entorno. Obviamente, algumas são melhores que outras e, nesse caso, destacam-se mais aquelas situadas na costa sul e sudeste da ilha, com algum crescimento verificado no nordeste.

Chaweng é a praia que é o sinônimo de Ko Samui, para muita gente. É bastante extensa, tendo um setor com águas mais agitadas, ao sul, boas para prática de surf, e outro bem mais tranquilinho, isolado por uma barreira de corais, que é praticamente um piscinão rasinho, com águas quentes.

Parte de Chaweng, vista desde sua extremidade norte

Essa parte no extremo norte de Chaweng é tão tranquila que figura em algumas listas de melhores praias do mundo para se levar crianças pequenas. A água dificilmente passa de 1 metro e meio de profundidade e por isso pode-se andar metros e mais metros mar adentro, com a água na altura dos joelhos ou um pouco mais acima. Bastante comum também é alugar ou pegar emprestado com o próprio hotel um caiaque, para passear pela “lagoa”. Num determinado setor, delimitado por boias, há jet skis para alugar.

Ao longo de toda Chaweng há hotéis de luxo, hotéis boutiques e pousadinhas, a preços muito mais acessíveis do que em Phuket. Os restaurantes, muitas vezes dos próprios hotéis, estão abertos a qualquer um. O mais comum, aliás, é que as pessoas cheguem pela praia, de dia ou à noite, para jantar inclusive nos lugares mais ajeitadinhos. Em alguns, há música e até se forma um pointzinho.

Um pouco mais longe da praia, há um centrinho urbano bem movimentado em Chaweng, que conta até mesmo com uma churrascaria brasileira. Há alguns pequenos shoppings, muitas lojas de conveniência e farmácias, um caixa eletrônico em cada esquina, algumas feiras de rua e banquinhas de souvenirs. A cidade é mais desorganizada que outras em que estivemos na Tailândia, com ruas um pouco esburacadas e muitas obras, mas mesmo assim é bem tranquila e segura, embora não seja tão agradável.

A segunda praia mais conhecida de Ko Samui é Lamai, que fica na continuação de Chaweng, ao sudoeste. Ali, há ampla variedade de hotéis e até mesmo alguns condomínios de luxo, com campos de golfe e tudo mais. Só acabamos passando por lá em meio a um giro pela ilha, quando visitamos as rochas do “Vovô e da Vovó”.

A "rocha do Vovô", em Lamai

Há muitos hotéis com bom custo benefício na praia de Bophut, que não fica longe de Chaweng, mas está voltada para o norte. As pousadas e os hotéis são mais novos por lá e estão caprichando mais no atendimento para firmar a praia como uma nova opção aos que querem boa infraestrutura sem tanto movimento, que as vezes pode ser um pouco do problema de Chaweng (o que não ocorreu, na nossa opinião). A praia é um pouco mais selvagem, com vegetação separando os hotéis da areia, e o mar não é tão tranquilo, mas se tem a impressão de um lugar mais deserto.

O Buda de 8 braços, perto de Bophut

Tirando essas três praias, as demais acabam sendo muito longe das atrações locais e só valem a pena se for para ficar num hotel sem muita necessidade de sair.

O interior de Ko Samui tem várias trilhas, que passam pelas florestas locais e pelas montanhas. De certa forma, a ilha é um resumo da Tailândia: tem até campos de elefantes, que também fazem trekkings para turistas com os animais; tem templos budistas espalhados por todos os lados; tem praias paradisíacas; agito noturno com direito a shows de cabarets; além de um parque nacional marinho (Ang Thong) que faz as vezes do Phang Nga local.

2 comentários:

Arte Decor disse...

Olá André... muito legal esse teu blog.
Cada lugar mais lindo e interessante do que o outro.
Bem, estou pensando em fazer o meu primeiro mochilão, só que para ser sincera não sei por onde começar... rs
Já que você já fez vários, talves podesse me dar umas dicas.

Abraços
Vanessa

Arte Decor disse...

Esqueci de deixar meu e-mail de contato
vbalbuquerque@hotmail.com

Abraços
Vanessa