12/02/2012

Casa de Jim Thompson

 Outra das atrações turísticas de Bangkok que é figurinha sempre presente nos guias de turismo é a Jim Thompson House.

Jim Thompson era um aventureiro americano que, depois de ter conhecido a Tailândia durante a Segunda Guerra Mundial, apaixonou-se pelo país e decidiu lá estabelecer a sua residência. Com grande espírito empreendedor, ele percebeu que a indústria da seda, completamente deixada de lado nas décadas anteriores aos anos 1950, teria um grande potencial exportador no pós-guerra. Assim, montou ele próprio uma indústria de seda e de design, que acabou virando a marca até hoje mais famosa da Tailândia, com lenços, bolsas, vestidos e objetos de decoração.

A casa onde viveu também era cheia de excentricidades e, exatamente por isso, foi transformada num museu aberto a visitação. Ele queria morar em casas tradicionais de madeira (teca, uma madeira avermelhada típica da região), e por isso mandou trazer de diversas regiões do país casas de diferentes estilos construídas com esse material. Remontou-as num terreno que comprou perto de um dos mais importantes canais da cidade e usou cada uma como uma peça da casa, fazendo corredores entre elas e criando um amplo jardim com árvores tropicais. No interior, decorou tudo com antiguidades orientais e presentes que ganhou de visitantes ilustres.
 
 
Ninguém sabe exatamente como ou onde morreu Jim Thompson. O que se tem notícia, apenas, é que ele estava de férias fazendo trilhas pelas montanhas da Malásia. Uma das teorias diz que um caminhoneiro o teria atropelado e enterrado no bosque, para não ser descoberto. A empresa, no entanto, que já era grande quando ele morreu, continuou até hoje e tem filiais em todos os aeroportos internacionais do país e nos principais shopping centers.

O interior da casa só pode ser visitado em tours guiados, que partem do próprio pátio a cada 15 minutos, com duração aproximada de meia hora. Logo depois da entrada, as pessoas são separadas em grupos conforme o idioma que entendem (inglês, francês, alemão ou línguas orientais) e depois encaixadas nos horários disponíveis.
No final das contas, achamos o lugar até interessante, mas o tour (e especialmente a pobre da guia) muito chatinhos. A preocupação e o medo de que os turistas toquem ou derrubem alguma coisa é constante e isso deixa a guia totalmente tensa, sempre cuidando o que as pessoas estão fazendo ou onde estão parando.

Só recomendaria esse lugar para alguém que se interesse por decoração ou por arquitetura, ou se virou fã da marca Jim Thompson, porque realmente não vale muito a pena para outros propósitos...

REFERÊNCIAS:

- o lugar fica num beco sem saída a apenas duas quadras da estação National Stadium do SkyTrain, de onde há placas indicativas;

- o ingresso custa 100 baht por pessoa (cerca de R$ 5,60);

- o horário de visitação é das 9 às 17h, todos os dias, sem fechar ao meio dia.

Nenhum comentário: