06/02/2012

Wat Pho

O Wat Pho é o segundo templo budista mais visitado pelos turistas que passam por Bangkok e, curiosamente, fica quase ao lado do Wat Phra Kaew, do qual falei no post passado. Se for olhar no mapa, verá que fica no limite sul do grande espaço ocupado pelo Palácio Real, quase “do outro lado da rua”, mas como a entrada do Palácio é feita pelo norte, uma caminhada de um ponto ao outro pode ser bastante cansativa e o máximo que se poderá ver são as muralhas brancas que envolvem toda a área real.

Foi exatamente em razão dessa distância relativamente curta que experimentamos pela primeira vez um tuk tuk. Sem muita disposição para barganhar e empolgado com a experiência, aceitei pagar os trocados exigidos pelo motorista para nos levar até lá, num passeio que durou cerca de 5 minutos, com direito a uns bons trancos, barulho e fumaceira.

Chegando no Wat Pho, tivemos uma experiência bem mais tranquila do que no templo vizinho. Era mais ou menos meio dia e não havia tanta gente passando por ali. Assim que pagamos o ingresso (que sequer foi cobrado por alguém do lado de dentro), fomos direto para a maior atração do lugar: o maior Buda reclinado do mundo.

A imagem do Buda tem 15m de altura e 43m de comprimento, é toda folheada a ouro e tem os pés feitos de madrepérola. Além disso, tem almofadas sobre as quais ele está apoiado com mosaicos e várias imagens menores de Buda ao seu redor, com vasilhames onde as pessoas vão deixando moedinhas enquanto fazem um percurso ao seu redor.

O curioso é que o Buda está literalmente espremido numa capela pouco maior do que ele próprio, razão pela qual fica impossível tirar uma foto inteira dele que não seja em perspectiva, como essa que tentei bater.
 
 
 
 
O Wat Pho ainda tem diversas outras capelas, algumas fontes de água e diversos pátios com dezenas de imagens de Buda. Alguns lugares são usados como residência pelos monges locais e outros pontos têm até algumas lojinhas de souvenir.
 
Algo que para mim foi bastante surpreendente é o fato de ser o Wat Pho a escola mais tradicional de massagem tailandesa do país, considerada a primeira de todas.

A massagem tailandesa, segundo a narrativa frequentemente encontrada nos guias, foi criada justamente pelos monges para fazerem seus pares relaxarem os músculos e articulações depois de horas ou até dias de meditação, numa mesma posição.

Até hoje, pessoas aprendem a fazer massagem nesse lugar, que, como todos os wats, tem uma função mista de religião e educação (tecnicamente, o budismo não seria uma religião, mas uma filosofia de vida, por isso é ensinado como se o templo fosse uma escola). As aprendizes de massagem tailandesa atendem a clientes e turistas no local, cobrando um preço de 260 baht (R$ 15) por meia hora de massagem. Há outros tipos de massagem, como a facial; para ombros, pescoço e cabeça; só para os pés; etc.
 
Depois de quase quatro horas de visitação, foi ali que relaxamos e tivemos a nossa primeira massagem no país.

REFERÊNCIA:

- corrida de tuk tuk: 50 baht (3 reais)

- entrada no Wat Pho: 60 baht (4 reais)

- massagem de 30 minutos: 260 baht (R$ 15)

Nenhum comentário: