28/08/2008

Versailles

O palácio de Versailles é um lugar para se conhecer durante um dia ou pelo menos um turno inteiro. É o maior e mais famoso castelo real do mundo, chegando a ser massacrante de tanto luxo e detalhes.

A fila para entrar também é grande. A bilheteria, à qual se se chega depois da fila, oferece ingressos conjugados para todas as áreas do castelo, por mais de 20 euros, ou só para algumas partes, à escolha do freguês. Nós pegamos a entrada que dava direito a conhecer os aposentos do Dauphin (herdeiro do trono) e ao prédio principal. O acesso à maior parte dos jardins é público, por isso não nos preocupamos em pegar as partes pagas, como o acesso a labirintos ou aos aposentos da casa separada para onde Maria Antonieta foi depois de estar casada a algum tempo com o rei.
Há opções de tours guiados, mas a duração acaba sendo grande demais. Nós pegamos aqueles fonezinhos que têm as informações sobre cada área específica acessíveis pela indicação dos números que existem nas salas, para não ficarmos tão perdidos.

No início, a pessoa até presta a atenção em tudo, mas depois vai se apercebendo que é tanta coisa, que tudo é tão grande, que cada sala é mais luxuosa ou mais importante que a anterior, que acaba deixando um pouco de lado as informações.

No prédio principal, as partes mais interessantes, na minha opinião, são a ópera que existe lá dentro, a capela real, os retratos dos Reis Luís XIV, XV e XVI, os quadros em que Maria Antonieta aparece com os filhos, o quadro gigantesco da coroação de Napoleão como Imperador, a famosa Sala dos Espelhos, a sala do trono onde o rei recebia as pessoas e a galeria de quadros pela qual se passa no final da passagem pelo prédio principal.

É muita coisa para ver, por isso, deixo aqui apenas algumas fotos para que se tenha uma idéia.




Depois de mais de umas três horas andando só no prédio principal, já mortos de cansaço, fomos para os jardins que ficam na parte de trás do palácio.

As visões que se vão tendo do castelo à medida que se afasta dele são cada vez melhores. O problema é que depois tem que voltar tudo, hehehe, e é quase só subida!
Se for passar por lá, não deixe de dar uma olhadinha no lado esquerdo dos jardins, ou direita de que está voltando ao castelo, onde ficavam os jardins de laranjeiras, os mais legais que vi por lá, com desenhos muito perfeitos.

Um comentário:

Nívia Castro Queiroz disse...

Olá! Gostei muito do blog e das postagens sobre Paris.
http://quelugarbonito.blogspot.com/