06/05/2010

Sol de la Mañana e Laguna Salada

Com aquele frio todo e com aquelas condições (sem luz elétrica ou água quente), ainda tínhamos que acordar às 4h30 da manhã para sair antes do sol nascer. Apesar de reforçar a questão do horário, foi o guia quem se atrasou.

Tomamos o café da manhã e, apesar dos minutos de atraso, conseguimos pegar a estrada numa hora ainda boa para ver as ebulições dos gêiseres Sol de la Mañana, a primeira atração do dia.

Os gêiseres são fontes de água subterrânea que entram em ebulição com a mudança de temperatura, assim que o sol nasce. Por isso o seu nome.

O lugar parece de outro planeta. Algo como a Lua ou Marte, pelo que se vê nos filmes de ficção. Crateras pequenas e grandes, com as bordas esbranquiçadas, lodo se remexendo com o vapor, jatos de vapor saltando a todo minuto, uma névoa no ar. As fotos não saíram boas por causa da escuridão e do vapor no ar, mas o lugar é bem interessante.

O lado ruim é que talvez tenha sido o maior frio que já passei na minha vida. O vento era muito gelado, a temperatura devida estar em torno de -20°C. A altitude não ajudava muito. Logo depois de voltarmos para a caminhonete, ligamos o GPS para ver a que altitude estávamos andando: na estradinha logo depois dos gêiseres chegamos a incríveis 4.900m sobre o nível do mar - andando de carro, o que não é comum.
O maior frio da minha vida foi compensado cerca de 40 minutos depois por uma das sensações mais agradáveis de toda a viagem: entrar na piscina de águas termais da Laguna Salada, que tem temperaturas em torno dos 40°C.

Imagine: estava uns -10°C do lado de fora, naquela hora, com o sol já nascido. Nós, todos encasacados, de luvas, touca, blusão, underwear polar - e a piscina de água quente ali, ao ar livre, num lugar totalmente remoto, chamando para o banho. Muita gente não tem coragem, acha que vai se resfriar, mas é muito bom e vale a pena.

O segredo é tirar a roupa ligeiro, colocá-la longe da água (quem deixou a roupa molhar um pouquinho teve a desagradável surpresa de encontrá-la congelada logo depois) e ficar tempo suficiente para o corpo se esquentar bem.

No início, o contraste entre os -10°C do lado de fora e a temperatura da água gera gemidos de prazer de todo mundo que entra - muito cômico. Os curiosos do lado de fora, todos encasacados, acham que é sacanagem que está bom lá dentro.
Devemos ter ficado uma hora ali dentro. Na hora da saída, o segredo é rapidez. Não dá para dar tempo de se resfriar e é bom secar os cabelos ligeiro, para que não congelem. A toalha acaba congelada, não tem jeito. Mas se fizer tudo direitinho, ainda fica com o corpo quente por um bom tempo e aproveita para dar um passeio pela lagoa, que é onde desemboca a água quente da piscina termal.

Nenhum comentário: