08/10/2008

Estocolmo - o albergue

A viagenzinha entre o aeroporto e a cidade serviu para que tivéssemos o choque entre o que tínhamos visto nos últimos dias (França) e um dos lugares mais desenvolvidos do mundo.

Tudo era praticamente asséptico e silencioso do lado de fora, mas muito bonito. Fazia um dia de sol, com um friozinho que não permitia ficar de mangas curtas, e a paisagem era quase toda de bosques e campos limpinhos.

O asfalto impecável e o trânsito quase inexistente seguiram até o terminal de ônibus, em Norrmalm, ao lado da Central Station e um pouco ao norte da Stadhuset (Prefeitura), o prédio mais conhecido da cidade.

Na estação, pegamos nossos mapinhas e descobrimos que nosso albergue ficava a apenas 4 quadras dali. Seguimos caminhando pela rua e um pouco mais adiante demos de cara com a pracinha ao lado do albergue, na qual há uma fonte de água esférica (foto).
O City Backpackers Hostel não era nossa primeira opção, mas acabaou se revelando um ótimo lugar.

Logo na entrada, fomos avisados de que devíamos tirar os sapatos ou tênis e ficar só se meia ou de chinelo na parte interna do albergue. A internet era liberada 24hs por dia, em cerca de 6 computadores. Embora não houvesse café da manhã, havia macarrão liberado para cozinhar - bem como a indicação de lojinhas de conveniência a poucos metros para comprar o que fosse preciso.
Os quartos, de 8 pessoas, tinham segredo por senha. Os banheiros é que não eram lá essas coisas, daquele tipo sem box, só cortininha, coletivo, ao lado da área de uso comum.

O lugar era realmente muito aconchegante e acabou sendo uma grata surpresa depois do horror do albergue de Paris. Recomendo!

Um comentário:

Anônimo disse...

Oi Andre, eu estava acompanhando a sua aventura, pensando em achar algumas dicas de viagens, etc. Mas vc interrompeu a postagem. O que aconteceu?