06/06/2008

Da Áustria à Eslovênia

Chegando em Viena, depois de um dia Bratislava, já estava decidido sobre o que fazer em seguida. Escolhi ir para Ljubljana, na Eslovênia, e de lá seguir direto para a casa da minha prima, na Itália, para chegar a tempo de passar o aniversário da minha afilhada Luísa junto com ela e os meus tios, que também estariam por lá.

Quando se pede uma passagem de trem para Ljubljana na estação de trem, normalmente oferecem uma com conexão em Villach. Olhando no mapa, porém, percebe-se que existem caminhos bem mais curtos. Insisti e acabaram me oferecendo outra, com conexão em Graz, que foi a que comprei. Assim como os trechos entre Munique e Praga e Praga e Viena, esse saiu por exatos 29 euros, sem contar a reserva (que também não fiz).

Comprei a passagem e fui direto para o albergue, preparar tudo para sair cedinho na manhã seguinte. Naquela primeira noite sozinho na viagem, fiquei um pouco perdido. Liguei para um montão de gente aqui no Brasil com um daqueles cartões de ligações internacionais que fazem uns 5 euros durarem uns 80 minutos. Dei um tempo na área de uso comum do Wombat's, que fica bem agitadinha à noite, e depois fui dormir por volta da meia-noite.

Pela manhã, tomei meu café e peguei o trem das 7hs para a Eslovênia. O percurso na Áustria é bem legalzinho, dando uma boa mostra de porque o país é considerado o segundo mais rico da Europa. Chalés são o que mais se vê em cidadezinhas perdidas no meio de morros, com altas montanhas ao fundo.

O trem ia quase vazio. A conexão em Graz foi feita na hora marcada e, alguns minutos depois, já estava na fronteira com a Eslovênia. Como o país ainda não esava na Zona Schengen, teve carimbação de passaporte (saída de Schengen e entrada na Eslovênia), mas nenhuma pergunta.

O trecho esloveno da viagem é ainda mais bonito. O país é todo verdejante e a vegetação mais fechada. Há rios ao longo de quase todo o percurso.
A única parada em uma cidade maiorzinha é em Maribor, segunda ou terceira maior do país, mas sem tempo para descer. A ponte de entrada na cidade é essa que aparece na foto.
A viagem toda, apesar de ter apenas uns 300km, dura quase seis horas. Como não tinha trazido nada para comer e já passava do meio-dia, arrisquei um lanche no trem sem perguntar o preço antes. Depois que escolhi, veio a pergunta: Euros ou Tólares (dinheiro esloveno)? Respondi: euros. E ele: 6 euros!!! (um cafezinho e um mini sanduíche)

4 comentários:

Roberta disse...

Oi André,

Gostaria de saber qual foi o albergue que você ficou em Viena? E,no caso,de não ter gostado muito deste albergue, se vc tem outros para indicar? Obrigada...

André Cella disse...

Oi, fiquei no Wombats (se quiser ler mais, veja o post em http://demochilao.blogspot.com/2008/05/chegando-em-viena.html).
Há dois deles na cidade, melhor é o mais perto da estação Sudbahnhoh. Abc

priscila disse...

Vc sabe como consigo ver horário de datas de trem de graz para ljubljana? obrigada

André Augusto Cella disse...

Pelo site http://www.oebb.at/en/index.jsp