02/06/2008

De Viena a Bratislava

Logo depois de umas quatro horas caminhando pelo Schönbrunn, voltei com o Rafael até o albergue, para fazer o check out dele e ajudá-lo a pegar o transporte até o aeroporto. Na noite anterior e naquela manhã, tinha decidido que ficaria por mais uma noite em Viena, mas que aproveitaria a tarde e o início da noite para conhecer Bratislava, capital da Eslováquia, que fica a uns 45 minutos de trem dali.

Reservei e paguei antecipado mais uma noite, sem problemas (o cara da recepção disse que quem já estava hospedado tinha preferência). Aproveitamos também a simpatia do pessoal do albergue para fazer backups das fotos de viagem, de forma que tanto eu como o Rafael tivéssemos uma cópia de todas - minhas e dele.

Peguei só uma mochilinha para passar o dia e saí com o Rafael a pé até a Westbahnhof. De lá sai o ônibus para o aeroporto. Foi ali que nos despedimos. Confesso que fiquei meio receoso dele se perder no caminho até o aeroporto (hehehe), mas ele sabia muito bem se virar sozinho.

Naquela hora deu uma sensação estranha. Pela primeira vez estava completamente sozinho na viagem - e sem saber muito bem o que fazer. Peguei o bonde para a Südbahnhof, de onde saem os trens para Bratislava e fui já pensando no que fazer.

Cheguei na estação e sofri um pouco com a dificuldade para comprar a passagem para Bratislava. Havia uns estagiários da OBB que me ajudaram.

DICA: para ir a Bratislava, o jeito mais barato e prático é comprar um bilhete conjugado de ida e volta, com direito a uso do sistema público de transporte de Brastilava. Na época, saiu tudo por 14 euros. O nome do "pacote" era Bratislovers. Há trens de hora em hora, tanto para ir como para voltar, das 6hs da manhã até as 23hs. Deve-se validar o bilhete antes de entrar no trem. Não há reservas de lugares, mas os trens saem quase vazios.

O tempo de espera até a saída do trem e a viagem em si foram o tempo que eu precisava para cair a ficha e dar um rumo na viagem sozinho.


A viagem é bastante tranqüila. Não havia mais do que umas outras três pessoas no vagão em que eu estava. A paisagem é praticamente só alguma vegetação ao redor do rio Danúbio, que banha os dois países vizinhos e as duas capitais.


Na fronteira, ainda havia necessidade de carimbar passaporte, porque a Eslováquia ainda não fazia parte de Schengen. Sem perguntas, nem nada, foi só o tempo de parar alguns segundos o trem, descer a tripulação e a polícia austríacas para entrarem os eslovacos e tudo seguiu tranqüilo.

3 comentários:

Adrielle Saldanha disse...

Gostaria de saber informações sobre como ir de bratislava para viena. Tem alguma dica de site sobre trem de bratislava para viena ou tem outra forma de ir bem melhor?

André Augusto Cella disse...

No site da companhia de trens austriaca (em ingles) vc consegue os horarios e preços entre bratislava e viena: http://www.oebb.at/en/
ANDRÉ

Anônimo disse...

No sit www.raileuropa.com.br vc compra todos os tickets p tpda europa e eles ainda entregam em casa no brasil... Ele busca em todas as empresas...