05/07/2008

Vaticano - Basilica di San Pietro

Na minha opinião, a melhor vista que se tem da Città del Vaticano é esta da foto acima, que se consegue atravessando a pé a Ponte Umberto I. Foi esse o caminho que tomei para retornar ao Vaticano após algumas horas no centro histórico de Roma.

Meu objetivo, naquela parte da tarde, era conhecer por dentro a Basilica di San Pietro, que só pude ver por fora na manhã, com a audiência papal.

Das três vezes que fui a Vaticano naqueles dias em Roma, foi a menor fila que peguei, mas nem por isso ache que era pequena. A fila era necessária para que, mais uma vez, todos fossem revistados com raio-x antes de entrar no Vaticano.

Embora seja outro país dentro da Itália, não há controle de fronteiras no Vaticano; apenas checagem de segurança. A moeda, o telefone, tudo funciona como se fosse a mesma coisa que estar dentro da Itália.
A famosa Guarda Suíça, essa que aparece nas fotos, está por todo lado, mas não é ela que faz o controle do raio-x e dos "costumes". A segurança não deixa pessoas entrarem com trajes "indecorosos", como mulheres com saias muito curtas ou decotes muito abertos. Não é uma boa idéia nem mesmo homens irem com roupas muito curtas, como regatas.
A entrada na basílica é gratuita. O lugar é enorme, mais do que eu imaginava. Há várias naves, com estátuas gigantescas dos mais variados santos. Num cantinho bem protegido fica a mais famosa de todas: a Pietà, atrás de um vidro que dificulta bastante as fotos.
O altar de São Pedro também é gigantesco.
Tudo é folheado a ouro e muito rico em detalhes. Até eu, que só sou católico na hora de batizados e casamento, fiquei envolvido pela aura de grandeza do lugar mais importante da Igreja Católica no mundo.

Embaixo da Basílica, fica a cripta onde estão "enterrados" quase todos os papas. A maioria deles não está propriamente enterrada, mas em caixões de mármore que ficam expostos, muitos com estátuas iguais aos falecidos.

O túmulo de João Paulo II, esse que aparece abaixo, é um dos mais simples de todos.
Em algumas partes, não é permitido bater fotos nem parar por mais do que alguns segundos. Os seguranças ficam o tempo todo de olho.

O passeio todo pela Basílica levou cerca de umas 3 horas, contando a caminhada do centro até ali. Como ainda estava claro, decidi pegar logo um metrô para conhecer mais alguma coisa do centro antes que a noite chegasse... Afinal, eram só três dias na cidade: o primeiro foi para a parte do Império Romano, o segundo ainda estava em curso, e só me sobrava um terceiro, para ver os museus vaticanos, o Trastevere e outras partes do centro que não tinha conhecido (Campo dei Fiori, Fontana di Trevi, etc). Ufa!

Nenhum comentário: