22/07/2008

Italiano

Assim como a Alemanha, a Itália é um país que só se formou numa época relativamente recente, a menos de 200 anos. Antes disso, era um punhado de pequenos reinos e Estados independentes que tinham línguas próprias e costumes um tanto diferentes entre si.

O italiano funciona como a língua nacional, dos meios de comunicação, da escola, do serviço militar, do serviço público, etc., o que não significa que as pessoas tenham deixado de falar suas línguas e dialetos locais. É bem comum não conseguir entender nada do que duas pessoas conversam entre si num trem ou num restaurante, porque, embora soem parecido, esses dialetos são bem incompreensíveis para nós.

Mesmo não conhecendo muito da língua, os sotaques diferentes de cada região são logo percebidos por quem escuta com atenção, principalmente na entonação que dão nas frases.

Não sei explicar porque, mas eu tinha um certo receio de ter dificuldades de comunicação na Itália. Fiz um cursinho de italiano pelo consulado, aqui em Santa Maria, mas abandonei na metade porque me irritava demais com os colegas de turma e porque não sentia que estava evoluindo mais. Talvez isso tenha me deixado um pouco apreensivo, mas chegando lá consegui me virar muito melhor do que imaginava.

Engana-se quem acha que é fácil de falar, como espanhol. A língua é bem mais complicada gramaticalmente, bastando lembrar que o plural das palavras não é feito com "s", mas geralmente com "i" ou "e" e que há regras quase indecifráveis para saber qual é a silaba tônica de uma palavra ou quando é que se usa "doppia lettera" (duas letras iguais).

É muito mais fácil entender do que falar e, por mais estranho que isso possa parecer, parece que eles é que não entendem quase nenhum outro idioma, nem mesmo o espanhol. Por isso, acabava que sempre eu entendia tranqüilamente o que eles me diziam, mas parece que o esforço vinha quando eu tinha que falar. Além disso, eles tendem a pronunciar muito bem cada palavra (exceto os do sul da Italia!), por essa razão não há grande dificuldades - ao contrário de franceses e ingleses, diga-se de passagem.

O inglês dos italianos é sofrível - mais difícil de entender do que se vc não souber nada de italiano e deixar eles falarem com calma. Eles têm uma necessidade muito engraçada de colocar vogais no final de todas as palavras, na hora de pronunciar, resultando em coisas como "compiuter-a", "weekend-a", etc.

O negócio é não se assustar, porque é bem tranqüilo, afinal!

Nenhum comentário: