30/07/2008

Saluti dal Ticino

A Suíça é um país muito menor que a maioria dos seus vizinhos, mas é cheia de particularidades. Além de ser um dos únicos que não aderiu à União Européia (só recentemente aderiu à ONU!), é um país em que se falam oficialmente quatro línguas diferentes.

A maior parte do país fala alemão. Em cerca de 30% do território, o francês é o idioma predominante. Em alguns cantinhos próximos à Áustria e ao norte da Itália, fala-se romanche. Já o Ticino, esse cantão (província) que visitei, é o único que fala italiano.

A mistura entre a "perfeição" suíça e o jeitinho italiano forma uma combinação muito legal. Lugano é conhecida como um "paraíso de verão" para os suíços e, embora fique a umas boas centenas de quilômetros do mar, é descrita como uma cidade de estilo quase mediterrâneo.

O lugar não tem muito mais do que 70 mil habitantes, mas vale a pena conhecer, pela proximidade que tem em relação a Milão e pela beleza.

Da estação central de trem, que fica numa das partes mais altas da cidade, há dois jeitos de descer até o centro, que fica às margens do Lago di Lugano: a pé, por calçadas para pedestres que vão em zigue-zague por causa do forte aclive, ou com um funicular (que custa pouco mais de 1 franco suíço).
Decidi descer a pé e deixar o funicular para a volta. O caminho é todo por vielas estreitas, mas muito limpas. Os prédios ao redor são bem do estilo italiano, gealmente uns sobrados de dois ou três andares. Ao contrário do que se vê na Itália, porém, são todos muito bem conservados e limpos.
No caminho há algumas lojinhas de bugigangas para presente e de comida. Como já eram quase 11 da manhã, parei numa delas e comi um tipo de "panini" com uns queijos e salames estilo italiano, muito bom e barato (relativamente, pois logo vi como as coisas são caras daquele lado da fronteira!).

No caminho da descida, também, fica uma das igrejas mais importantes da cidade, a de San Lorenzo, cuja torre se vê logo que se sai da estação:
Lá embaixo, chegando ao centrinho da cidade, logo se percebe que tudo é muito pertinho e que dá para dar uma volta em poucos minutos para ver o que os mapinhas turísticos apontam como pontos principais da cidade.

O lugar mais movimentado do centro é a praça que fica em frente à Prefeitura, onde há vários cafés e restaurantes chiquezinhos (e podre de caros).
Um pouco mais para dentro, distanciando-se do lago, fica a Piazza della Independenza, que tem essa estátua bem interessante:
Certa vez, depois que voltei de lá, vendo um programa de TV sobre Veneza, tive a impressão de ter visto uma igual e mais antiga em Veneza, por isso acredito que seja uma réplica de uma estátua veneziana mesmo.

Algumas quadras mais adiante, encontrei o Parco Civico, lugarzinho tri simpático e cheio de banquinhos e sombras para um descanso durante um lanchinho.
Do outro lado do parque, o Lago de Lugano, que seria a minha próxima visita.

Nenhum comentário: