25/05/2008

Balanço de Praga

Fazendo um balanço da minha passagem por Praga, o saldo é extremamente positivo.

A cidade é a mais bonita da Europa, segundo a opinião de muita gente - e minha também. Além disso outras coisas tornam o lugar uma ótima escolha em qualquer roteiro:

DINHEIRO: a cidade é mais barata do que outras da Europa Ocidental, embora seja mais cara que outras mais ao leste. Enquanto o euro não for adotado, a tendência é que continue sendo vantajoso. Onde mais na Europa se beberia uma das melhores cervejas do mundo por 3 reais o copo de 300ml?

BELEZA: já falei linhas acima e repito - a cidade é muito bonita. As fotos que tenho de lá são algumas das melhores que já tirei. O tempo favoreceu, é verdade, mas as fotos que já vi de inverno também são muito legais; parece outro lugar (merece uma visita em outra estação!).

TRANSPORTE PÚBLICO: o transporte público é barato e fácil, depois de aprender a manha no início. De dia tem metrô para os pontos mais importantes e à noite os bondes quebram o galho. Só os taxistas cravam a faca - acho até que são mais caros do que na zona do euro.

PROXIMIDADE: as coisas mais importantes para se ver e fazer ficam pertinho umas das outras, tornando fácil ir a pé de um lugar para o outro. A cidade é bem compacta, mas parece maior por causa do rio no meio. Consegue-se ver as coisas mais legais ficando só na área do Josefov, Staré Mesto e Malá Strana - inclusive à noite. Para uma experiência menos "turística", aí é melhor andar um pouco mais.

CLIMA: no verão, o clima é muito agradável, não chegando nunca a fazer aquele calorão de matar e deixar todo suado. À noite, é bom ter um casaco leve.

FESTA: a cidade é conhecida pelas festas, nas boates que em sua maioria ficam na Staré Mesto e na Nové Mesto. Com a cerveja àquele preço, não poderia ser diferente. Tem gente que compara a Amsterdam! Particularmente, ainda prefiro Barcelona, mas acho que colocaria Praga em 2º lugar, sem pensar muito.

COMIDA: a comida talvez seja o ponto que mais deixou a desejar, na minha opinião. Talvez isso varie em função do gosto de cada um, mas sinceramente não me afeiçoei muito àquela comida deles. O prato mais típico é pato assado com uns negócios de repolho, beterraba, cenoura, umas sopas e tal. Tudo meio adocicado. Teve um dia em que experimentamos e fiquei com a sensação de que tinha engolido um bloco de cimento. Os turistas em geral também não gostam muito, o que explica a grande quantidade de restaurantes italianos (que foi o que nos salvou) e as lanchonetes de redes americanas.

ALBERGUE: o albergue foi o melhor que ficamos em todo aquele mochilão (A&O). Embora ficasse um pouco longe do centro, era fácil ir e vir de metrô. O quarto bastante confortável, o banheiro privativo, a boatezinha no andar de baixo e a recepção fazem valer a pena.

Um comentário:

Ricardo Pacheco disse...

Sobre a grana, apesar de muita coisa barata, achei estranho que tudo era cobrado na cidade... pouquíssimas igrejas, por exemplo, tinham entrada de graça... banheiros todos pagos e "concertos" ou "óperas" em tudo quanto é igreja... mó comércio!! hehehe
E quanto a comida, achei um restaurante com umas comidas também ditas típicas muito boas: comi um joelho de porco fenomenal!! hehe
E festa? "Pub Crawl"... um desafio de 4 pubs (sendo o 1o. com open-bar e os outros com welcome-drink) e 1 balada... mas até hoje não achei ninguém que chegou até a balada... eu "morri" no segundo pub e voltei rastejando pro albergue (pelo menos me contaram, pque não me lembro hehehe)
Muito bom!!