07/05/2008

Oktoberfest - 2ª noite

Imediatamente depois da tristeza toda de Dachau, seguimos para a nossa segunda noite no parque da Oktoberfest, onde chegamos por volta das 18h30, quando ainda estava claro. A aparência, de dia, é de uma feira bem comportada, como se vê nas fotos.

O pessoal veste a camiseta: quase todo mundo usa vestimentas típicas da região para ir à festa. Acabam ficando só os turistas "à paisana".

Aproveitamos que ainda não havia muito movimento para olhar bem as tendas maiores e escolher aquela em que ficaríamos o resto da noite.

A maior de todas é da cervejaria Paulaner, mas a mais tradicional e famosa na Oktober é a da Hofbräu. Uma das mais antigas (e freqüentada também por um pessoal mais da "antigas") é a da Löwenstein Brau. De outro lado umas das mais animadas e freqüentadas pelo pessoal mais jovem são a Schottenhammel, da Spaten-Franziskaner-Bräu, e a tenda da Augustiner (um pouco menor que as demais).

Naquele dia, já estava tudo combinado para que os outros três amigos do Rafael (Rodrigo, Rodolfo e Pitágoras) também nos encontrassem, para que ficássemos todos juntos num mesão de alguma das tendas.

Acabamos escolhendo a Schottenhammel, e realmente foi uma boa opção.

Depois de muita cerveja, bastante festa, alguns lanchinhos a título de janta e muitos italianos gritando que tinham ganho a Copa do Mundo na casa dos alemães, as 22hs chegaram rapidinho, e já era de ir para casa (digo, albergue!).

Quem insiste em ficar "mais um pouquinho" ou fazer algum fiasco dentro de uma tenda (arranjar briga, levar caneco embora, roubar alguma coisa das garçonetes...) tem que se ver com os "polizei", como a gente chamava os bruta-montes estilo Schwarznegger que fazem a segurança dos locais.

Nenhum comentário: