10/05/2008

Última noite na Alemanha

Nossa última noite na Oktoberfest foi quase uma continuação da tarde passada nas cervejarias do centro. Por volta das 18hs, fomos em direção ao parque.

O movimento parecia aumentar cada dia mais. O metrô, na chegada da estação de Theresienwiese, parecia mais uma saída de jogo de futebol. É inevitável não lembrar de filmes sobre a Segunda Guerra com aqueles alto falantes emitindo ordens em alemão, em voz alta, para aquela multidão de gente indo em direção à Oktober.

Nessa terceira e última noite, fizemos nossa festa na tenda da Hofbräu. De tão cheia que ficou, foi fechada a entrada para quem estava de fora lá pelas 20hs.

Ficamos, como nas noites anteriores, até a festa terminar, quando as pessoas são praticamente mandadas embora.

Ao contrário do que acontece em Ibiza, noites bem dormidas de sono são praticamente inevitáveis na cidade, mesmo em tempo de Oktoberfest.

Na manhã seguinte, tomamos o café e fizemos o check out.

As passagens para Praga já estavam compradas desde o dia anterior, portanto não havia muito com o que se preocupar.

Refletindo um pouco sobre aqueles dias na Alemanha, posso dizer que não fiquei tão empolgado, como estive em relação à Espanha, depois de ter conhecido o país. Na verdade, só fui passar a achar o país mais interessante depois que conheci Berlin, no ano seguinte. A primeira coisa que me vem à cabeça quando penso num motivo para não ter gostado tanto de Munique é o fato de tudo ser muito previsível, exatamente como no estereótipo da Alemanha que eu tinha na cabeça.

Enquanto estivemos na cidade, não nos preocupamos tanto em conhecer o que havia para ver... Deixamos a coisa mais relax, fazendo aquilo que o pessoal sugeria ou simplesmente descansando com uma cervejinha na mão em tudo quanto era lugar possível. De certa forma, isso é importante e todas as viagens - ter um lugar para sair um pouco da correria de visitação e de atividades.

O campo de concentração acabou sendo a coisa mais marcante que vi nessa parte da viagem e a Oktober, afinal, vai para o currículo, porque por aqui no Brasil não há tanta gente assim que ja tenha ido ao festival original.

Hoje, porém - repito, depois de Berlin -, aprendi a gostar muito da Alemanha e ainda tenho vontade de conhecer mais lugares ao redor do país.

3 comentários:

Diego disse...

"Na verdade, só fui passar a achar o país mais interessante depois que conheci Berlin, no dia seguinte." Não seria "ano seguinte"?

André Cella disse...

Corrigido!

Fabiana disse...

Ola!
Eu e um grupo de amigos estamos pensando em ir na Oktoberfest esse ano... Vc tem alguma dica? :D

Outra coisa.. tem q saber algo de Alemão? ahuuhaa ou da pra se virar com ingles mesmo?? Afinal.. se for td gritado em Alemao como em guerra.. ja era neh..

Bju bjus^^