23/05/2008

Praga - o rio Vltava

Assim como Paris tem o seu Sena, Londres tem o Tâmisa, Roma tem o Tibre, Praga tem o Vltava, o rio que corta a cidade ao meio.

Ao contrário do que se imagina, embora esteja no meio da cidade mais importante de um país que tinha sérios problemas ambientais até bem pouco tempo atrás, incluindo até mesmo chuva ácida por causa da poluição do ar, o o rio é bem limpinho e não tem cheiro nenhum.

As águas são bem calmas, graças a diques e canais que foram sendo construídos ao longo do tempo para diminuir a intensidade de enchentes. Em razão disso, porém, o rio deixou de ser navegável na parte central da cidade, havendo apenas alguns barquinhos, pedalinhos e canoas fazendo passeios de lazer ou para turistas.

A beleza do rio fica ressaltada pelas várias pontes que existem ao longo da cidade. Só na área mais central, são nove delas, sendo a mais importante, sem dúvida, a Ponte Carlos, que é fechada para carros.

Vale a pena aproveitar a tranqüilidade que o rio passa, indo em lugares não tão freqüentados pelos turistas, mas com uma visão privilegiada da cidade: as ilhas no meio do rio. São duas as maiores: Střelecký ostrov e Slovanský ostrov. Para chegar nelas, basta descer umas escadarias nas cabeceiras das pontes. Não há prédios, só jardins e banquinhos para descansar ou fazer um lanchinho.

Ali também é possível alugar uns barquinhos para ter umas vistas legais de tudo ao redor e, de quebra, ainda fazer um exercício para os braços. Só cuidado para não virar e deixar a máquina cair na água!

Nenhum comentário: